Cree en grande.
CONMEBOL

River toca o céu ao ganhar a Libertadores 2015 após uma difícil campanha

River toca o céu ao ganhar a Libertadores 2015 após uma difícil campanha

O argentino River Plate se abraçou nesta quarta-feira com a glória ao ganhar a Copa Libertadores da América 2015, sua terceira na história dentro de uma difícil campanha em que contornou uma eliminação prematura.

Para chegar a enfrentar na final o Tigres do México, que goleou por 3-0 na volta em Buenos Aires após o 0-0 na ida em Monterrey, a equipe 'millonario' transitou em um sendeiro similar ao que percorreu em 2014 outro argentino, San Lorenzo, que também esteve ao borde de ficar fora da etapa de grupos e resultou campeão pela primeira vez na sua história. 

No Grupo 6, River compartilhou a área com o boliviano San José, perdendo por 2-0 em Oruro e também goleou por 3-0 no Monumental de Buenos Aires, e igualou as quatro partidas restantes: com o peruano Juan Aurich (1-1 de local e de visita) e com Tigres (1-1 em Buenos Aires e 2-2 em Monterrey), seu rival na final.

Os jogadores de Marcelo Gallardo estiveram perto de dizer adeus em terra mexicana no penúltimo encontro da segunda rodada, já que aos 86 minutos perdiam por 2-0 contra Tigres mas souberam aproveitar uma abrupta descida do local e conseguiram um empate com sabor de façanha, com gols do colombiano Teófilo Gutiérrez --agora no Sporting de Portugal-- e do uruguaio Rodrigo Mora.

Esse ponto resgatado na última hora permitiu ao River chegar com chances para a última jornada na qual superou ao San José, enquanto Tigres se encarregou de dar outra ajuda ao vencer por 5-4 a Juan Aurich.

Na oitavas de final era esperada uma dura disputa contra o Boca, mas River repetiu a receita aplicada nas semifinais da Copa Sul-Americana 2014 e eliminou aos "auriazules".

River passou para as quartas de final onde enfrentaria outro adversário robusto, o brasileiro Cruzeiro.

Após perder do local por 1-0, os argentinos se redimiram com um demolidor triunfo de 3-0 em Belo Horizonte.

O parênteses pela disputa da Copa América no Chile não alterou o avanço do River, que na semifinal deu conta do paraguaio Guaraní, com um exitoso 2-0 em Buenos Aires e um empate 1-1 em Assunção, onde chegou com um gol e com a assistência do seus flamantes reforços, o atacante Lucas Alario e o uruguaio Tabaré Viudez.

River chegou desta forma para a sua quinta final da Libertadores, com derrotas nos seus dois primeiros desenlaces (em 1966 ante o uruguaio Peñarol e em 1976 contra Cruzeiro) e acostumadas conquistas em 1986 e 1996. Em ambos casos foi à custa do colombiano América de Cali.

 

 

 

Texto e foto: AFP

Edição: conmebol.com