Cree en grande.
CONMEBOL

Mundial Sub-17: "Fico feliz em dirigir este grupo", revela DT argentino

Mundial Sub-17: "Fico feliz em dirigir este grupo", revela DT argentino

"Posso me sentar aqui?", diz ao chegar ao set. É uma pessoa que viveu a vida. Formado no futebol de Ascenso, soube tocar o céu com as mãos com esse famoso Argentinos Juniors, que tomou conta da América e quase conquista o mundo contra a Juventus no Japão. Sua carreira como jogador acabou e era hora de sentar-se no banco de reservas com seu maior ídolo, Carlos Salvador Bilardo.

O tempo passou. Também diferentes experiências. Já durante vários anos foi membro da equipe técnica nas Seleções Juvenis da AFA. E como parte de sua tarefa, acompanhou e ajudou a instituição a crescer, esses garotos que hoje se tornarão adultos quando entrarem em campo em Chillán. "Tenho o prazer de conduzir este grupo. Tenho acompanhado e visto o grupo crescendo", diz Lemme.

Mais de 40 dias de preparação no campus de Ezeiza com seus jogadores. No meio? Muitas indicações, mudanças e decisões, como eleger 21 representantes do futebol argentino que buscarão no Chile alcançar a glória. "Estamos preparados para deixar a equipe no topo." Uma frase que demonstra sua confiança no trabalho realizado com Roberto Luzzi (PF), Esteban Pogany (treinador de goleiros) e toda a sua equipe de treinamento.

Para falar das equipes que enfrentará no Grupo C, Miguel Angel utiliza a memória e repassa o analisado sobre cada ​​selecionado. "Estudamos os rivais e sabemos que cada um tem suas características. O México tem uma equipe que maneja a bola no meio e depois sai de contra. Jogam muito bem e sabem retroceder na defesa. Por outro lado, a Alemanha está atenta ao seu erro para usá-lo, e também tem boa bola parada. E, no caso da Austrália, defendem muito bem e vão mais rápido para gerar o contra-ataque".

Ele teve a sorte de dirigir Maradona no Sevilla da Espanha. Também de acompanhá-lo por um tempo no banco na equipe sênior. Foi ali que teve a oportunidade de treinar Messi, o melhor do futebol mundial. Mas agora está prestes a começar uma outra história. Uma que conhece perfeitamente os seus protagonistas, os garotos que viu crescer e jogar com a camisa argentina. "Eu disse a eles que essa oportunidade é o máximo. E para mim o máximo é dirigi-los".

 

 

Fonte: AFA