Cree en grande.
CONMEBOL

Mundial de Clubes: Marcelo Barovero, o homem tranquilo que deve frear Luis Suárez

Mundial de Clubes: Marcelo Barovero, o homem tranquilo que deve frear Luis Suárez

Com seus escassos 1,80 m e 70 kg poucos pensariam à primeira vista que estariam frente a um goleiro de máximo nível, mas o capitão do River Plate Marcelo Barovero espera que a temperança que o caracteriza sirva para frear Luis Suárez e as estrelas do Barcelona no domingo.

"É uma figura com cara de funcionário de escritório, comparado com Iniesta", diz um dos jornalistas deslocados ao Japão que segue a atualidade do River Plate.

Sua última demonstração chegou quarta-feira nas semifinais, aos 20 minutos para ficar na lembrança do River Plate, que ganhou assim o desejo de desafiar o campeão europeu pelo Mundial de Clubes.

Sem um grito ou um gesto de alteração, Barovero encadeou três defesas para evitar que o Sanfrecce Hiroshima abrisse o placar.
 

"Graças a Deus tocou-me agir de boa forma e contribuir", disse após o jogo, que o time argentino venceu por 1-0.

Duas vezes diante de um Yusuke Minagawa que terminou desesperado e em uma outra ação contra Yusuke Chajima, Barovero exibiu suas qualidades: reflexos, temperança e eficácia evitaram o gol local.

Foi o único jogador com o qual seu treinador Marcelo Gallardo nomeou na conferência de imprensa: "Suas paradas foram fundamentais, é um goleiro com uma temperança enorme, quando tem que aparecer aparece".

- 'Escalada' -

Para Barovero o sucesso chegou aos trinta (31). Até os 23 de idade, ele jogou na segunda divisão, no Atlético de Rafaela, seu clube de formação.

Suas boas atuações - 'foi duas vezes eleito o melhor goleiro campeonato-, isso o levou ao Hurricane, onde jogou um ano antes de ficar por cinco cursos com o Velez Sarsfield.

Em 2012 ele teve a grande oportunidade de participar na reconstrução de um gigante como o River Plate depois da passagem traumática pela segunda categoria.

"Há dois anos temos vindo a escalar uma montanha, progressivamente. É importante tudo isto especialmente pela forma como tem sido", disse sobre o grupo de jogadores que ganhou quatro títulos internacionais em um ano para Los Millonários.

Arqueiro de grandes aparições pontuais cujo ponto fraco é o jogo em alta, devido à sua baixa altura, tem estado em algumas chamadas para a seleção argentina, mas nunca teve continuidade no grupo.

- Possível retorno às origens -

No pólo oposto do futebolista moderno, Barovero, amante da vida no campo e de beber mate, tem deixado transparecer que não é feliz na cidade grande.

O contrato termina em seis meses com o River Plate e não poderia renovar para voltar ao Atlético de Rafaela, longe do stress que causa Buenos Aires.

Mas antes que ele irá enfrentar o grande desafio de sua carreira, ser capaz de parar o melhor ataque do mundo; Luis Suarez, autor de um hat-trick em semifinais-, Neymar e Lionel Messi, sempre que os dois últimos estejam finalmente à disposição para jogar a grande final.

"Só de estar na final fico feliz. É uma partida que tem que ser medida e jogada, que a cabeça se libere e que saibamos que esta é uma oportunidade única para cada um de nós", disse quarta-feira.

Paul MELIAN / AFP
Foto. AFP
Edição: conmebol.com