Cree en grande.
CONMEBOL

‘Acreditar Sempre’: A inspiradora história de Augusto Delfino

×

Menssagem de erro

Notice: Undefined index: und em eval() (linha 1 de /data/www.conmebol.com/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_argument_default_php.inc(66) : eval()'d code).
‘Acreditar Sempre’: A inspiradora história de Augusto Delfino

O futebol é um esporte de inclusão, esse é um jargão muito correto, e quem também o confirma é Augusto Delfino, um jovem brasileiro com paralisia cerebral, que diante da adversidade se superou, se formando em Educação Física, perseguindo hoje seu sonho de ser treinador, se preparando para obter a Licença C da CONMEBOL.

Guto Avaino, como é chamado pelos amigos, tem o futebol como seu motor de propulsão. Desde pequeno tinha a fantasia de ser jogador, mas sabia se suas limitações físicas por causa da paralisia cerebral que teve devido a uma parada respiratória na hora do parto, afetando seu sistema cognitivo, raciocínio, fala e movimentos.

Desde o dia de seu nascimento, Guto lutou por seus sonhos 'acreditando sempre', e graças a sua força de vontade, conseguiu se comunicar usando a cabeça para digitar em um aparato especial. Foi aí que o futebol lhe abriu uma porta de esperança que ele aproveitou sem duvidar.

Fanático do clube Avaí, Augusto Delfino tem um blog com informações de seu time preferido. Graduou-se como professor de Educação Física e hoje está fazendo o curso para obter a Licença C, oferecida pela CBF e outorgada pela CONMEBOL, para ser treinador profissional, demonstrando que o futebol não se limita ao físico mas também valoriza o mental.

O jovem brasileiro de Santa Catarina, reconhece que a ajuda de seus pais, Marcos e Ruth Delfino, foi fundamental para capitalizar seus anelos dentro do esporte.

“A primeira vez que  levei o Guto ao estádio Ressacada, ele se sentiu triste porque Avaí perdeu. Lá expliquei a ele que na vida, às vezes se perde e às vezes se ganha. Mas ele me disse: ‘Pai eu sempre quero ganhar’, e hoje o está demonstrando”, afirmou seu pai, Marcos Delfino.

Guto é um exemplo de vida e mostra a importância da inclusão e participação. Ele tem dado várias palestras motivacionais. Também demonstrou conhecimento tático do futebol, sua paixão e motor propulsor de sua vida, como ele mesmo o define.

Delfino foi convidado a fazer parte da comissão técnica da equipe Pura Arte, em Palhoça, que competirá na Copa Mundial Amateur no Rio de Janeiro, de 29 de novembro a 6 de dezembro deste ano.

- Licença C -

Para isso se prepara, para obter a Licença C da CONMEBOL, cujo curso tem uma duração de 140 horas; 15h de educação à distância (EAD), 80h de atividades presenciais, 30h de estágio monitorado e de observação, e mais 15h de estudos e trabalhos especiais.

O plano de seu estágio aborda gestão esportiva e marketing; comunicação e liderança. Elaboração de conhecimento sistematizado sobre a atividade profissional de um professor de futebol para crianças e adolescentes, através da observação do desempenho docente, e do exercício efetivo das funções de um professor de escolas de futebol. Estudos e trabalhos especiais (pós-curso).

A Licença C é um requisito prévio para participar de outros cursos, como o treinamento de atletas em categorias de base (Licença B) e treinador de futebol profissional (Licença A). Depois da aprovação de trabalho, os estudantes recebem o certificado.

 

 

 

 

 

Cree En Grande - CONMEBOL.com

Fotos: Diario Santa Catarina