Cree en grande.
CONMEBOL

Brasil aquece com Arábia Saudita antes do clássico com Argentina

×

Menssagem de erro

Notice: Undefined index: und em eval() (linha 1 de /data/www.conmebol.com/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_argument_default_php.inc(66) : eval()'d code).
Brasil aquece com Arábia Saudita antes do clássico com Argentina

CBF

Em plena metamorfose, o Brasil de Neymar terá seu laboratório de testes no amistoso contra a Arábia Saudita na sexta-feira, quatro dias antes de enfrentar a Argentina em sua primeira prova séria rumo ao próximo desafio: a Copa América em casa de 2019.

A partida, que será realizada em Riad a partir das 21h00 locais, será a terceira deste novo ciclo da Canarinha após suas cômodas vitórias ​​contra os Estados Unidos (2-0) e El Salvador (5-0) em setembro, com sua estrela recentemente promovida a capitã permanente da equipe.

- Idas e voltas -

O DT Tite anunciou que o resto do ano seria para experimentar.

Recentemente renovado no cargo para poder dirigir um ciclo completo, a obsessão do técnico segue sendo levantar a sexta Copa que escapou na Rússia, mas falta uma eternidade para Catar-2022 e alguns de seus jogadores já tem certa idade.

Não estão na Arábia Saudita os jogaodores Thiago Silva nem Willian - ausente de uma convocatória pela primeira vez em cinco anos -, em um grupo de dez novidades em relação ao Mundial, incluindo o renascido Lucas Moura, que volta à seleção dois anos depois graças à grande fase no Tottenham.

Tite já alertou, no entanto, que as ausências não significam nada e há Gabriel Jesus para provar isso, de volta ao grupo.

Mas o atacante do City - provavelmente titular na sexta-feira-, está sofrendo ainda mais a concorrência com Roberto Firmino com a chegada de Richarlison, que debutou com dois gols contra o El Salvador.

As maiores mudanças são esperadas atrás, com Éderson sendo testado no arco, Fabinho e Alex Sandro repetindo na zaga com Marquinhos e o estreante Pablo, em um time experimental onde permanecem inegociáveis Casemiro, Coutinho e Neymar.

"Será um jogo muito difícil, [Arábia Saudita] não é uma equipe tão conhecida, mas contra a seleção brasileira todos querem jogar bem, mostrar-se", elogiou o centro do Manchester United, Fred.

- Superclássico em mente -

Apesar de tudo, a atenção da Canarinha estará no duelo de terça-feira contra a Argentina, o primeiro obstáculo importante neste novo ciclo.

Embora seja um amistoso, e sem Lionel Messi, Tite já advertiu que todos os clássicos são importantes, por mais longe que sejam disputados.

Ele sabe bem disso. Durante sua brilhante fase de preparação para a Rússia de 2018 - em que elevou o Brasil com 17 vitórias em 21 partidas -, apenas uma mancha em sua impecável folha de serviço: a derrota contra a Argentina (1-0) em um amistoso disputado na Austrália em junho de 2017.

Agora ele não quer repetir, e tudo indica que irá alinhar sua força máxima contra a equipe em transição de Lionel Scaloni.

"Embora Messi não esteja, com certeza vai ser uma grande partida, um grande clássico. Quero vencer a Argentina, com ou sem Messi", disse seu companheiro no Barça, Philippe Coutinho.

O talentoso centro irá partilhar o ataque com seu amigo Neymar, que iniciou outro ciclo marcando e, com 59 pontos, está a apenas três de igualar Ronaldo como o segundo maior artilheiro da Seleção em jogos oficiais.

 

 

 

 

 

 

AFP