Cree en grande.
CONMEBOL

Carta do Presidente da CONMEBOL

Carta do Presidente da CONMEBOL

Luque, 01 de outubro de 2019

Querida Família do Futebol Sul-Americano,

Chegamos mais uma vez à última fase da Copa CONMEBOL Libertadores, faltam cinco partidas para saber quem será o melhor time, aquele que alcançará a glória eterna este ano.

Em primeiro lugar, parabéns às quatro equipes classificadas, Club Atlético Boca Juniors, Club Atlético River Plate, Clube de Regatas do Flamengo e Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Todos eles são fortes candidatos ao título que será disputado em 23 de novembro em Santiago do Chile.

Este ano temos uma grande oportunidade em nossas mãos, uma oportunidade perfeita para projetar o espetáculo e a melhor imagem do nosso futebol sul-americano para o mundo inteiro. Fãs de mais de 100 países em cinco continentes assistirão nossas partidas.

Como um homem do futebol, acredito que a CONMEBOL Libertadores é a Copa mais emocionante do mundo, todo mundo quer ganhar, todos sonham em conquistá-la, mas, alguns poucos a obtém. E esta edição, mais do que qualquer outra, é um palco de reinvindicação única do nosso melhor futebol. Não podemos permitir que ninguém possa manchar esse brilho do nosso talento que tanto encanta dentro e fora da América do Sul.

Nossa paixão pelo esporte é única e reconhecida mundialmente. Por isso mesmo, devemos respeitar o adversário, o árbitro e o torcedor da outra equipe. Não deixemos que o fanatismo descontrolado danifique a magia e o encanto do melhor esporte do mundo. O futebol é um jogo, a violência não.

A eliminação da violência dentro do futebol deve ser uma causa comum de todos. A CONMEBOL está comprometida em impulsionar o modelo de futebol sul-americano no qual acreditamos. Um modelo onde todos nós trabalhemos para que o nosso futebol recupere sua posição de liderança global com o talento de nossos clubes e seleções. Um modelo onde a violência não tem lugar.

Sem me estender mais, que comece a festa das Semifinais, que ganhem os dois melhores times, que as torcidas façam suas festas, gritem, se abracem e não esqueçam que em um campo de futebol pode haver sorrisos ou lágrimas pela própria natureza do jogo, mas nunca deve haver espaço para os violentos.

Nos vemos em Santiago do Chile em breve com as duas melhores equipes do continente. Um compromisso marcado onde todos nós (torcida, jogadores, clubes e dirigentes) temos a responsabilidade de transformá-la em uma final única e histórica, não por ser disputada em uma só partida, mas por ser única em sua organização, em sua experiência e claro pelo espetáculo do futebol.

Alejandro Domínguez
Presidente
Confederação Sul-Americana de Futebol