Cree en grande.
CONMEBOL

Carta do Presidente da CONMEBOL - Uma final exitosa na qual nada deve manchar

Carta do Presidente da CONMEBOL - Uma final exitosa na qual nada deve manchar

Alguns dias depois de terminar a bem-sucedida final da CONMEBOL Libertadores em Lima, na qual tive a oportunidade de liderar uma equipe de trabalho que mostrou profissionalismo de nível mundial, com o apoio inestimável das autoridades peruanas. Por respeito a todas as pessoas e instituições envolvidas nessa inesquecível Final, considero necessário realizar precisões sobre as afirmações de uma autoridade chilena.

Fiquei surpreso com algumas acusações da ministra do esporte do Chile, que tentaram manchar uma gestão transparente e bem-sucedida. Acredito que possam ter sido provocadas ​​pelo desconhecimento da instituição à qual se incorporou pouco antes da difícil decisão da mudança de sede. Mudanças baseadas em causas de força maior e de nenhuma maneira atribuíveis à CONMEBOL.

A Conmebol nunca solicitou "o financiamento de uma festa de 40 milhões em Castillo Hidalgo", como afirmou a ministra. Não lhe foi solicitada nem a ninguém antes dela. Qualquer parte ou custo vinculado às finais é pago integralmente pela CONMEBOL.

O fechamento do estádio por dois meses, que ela questionou, teve como objetivo fazer melhorias que foram apresentadas e propostas pelo Chile durante a candidatura para a sede única, que redundarão em benefício ao futebol chileno e aos torcedores, que poderão usufruir do mesmo. Não é responsabilidade da CONMEBOL fazer melhorias em um estádio nacional.

Quanto à “lei curta para pagar menos impostos”, prefiro deixar que a ministra o explique. De minha parte, posso afirmar que desde que presido a CONMEBOL, a partir de 2016, tenho lutado para devolver ao futebol, aos jogadores, aos clubes e todo o público que o segue, o dinheiro gerado pelo futebol. Para atingir esse objetivo, toda vez que um evento esportivo é organizado em algum país, sempre solicitamos as melhores condições permitidas por lei.

Segundo dados publicados pelo governo, a realização da Final Única em Lima significou um impacto de mais de US$ 62 milhões na economia peruana. Estes são os resultados que a CONMEBOL procura gerar e para os quais tenta trabalhar em harmonia e sinergia com as autoridades de cada país.

Estamos culminando um ano excepcional para o futebol sul-americano, com duas finais únicas que têm sido uma demonstração de respeito, convivência em paz e espírito esportivo para toda América e mundo. Encaramos o ano de 2020 como uma nova oportunidade para continuar trabalhando para o esporte que amamos e mostrar até onde pode-se chegar quando Acreditamos Sempre.

 

Alejandro Domínguez
Presidente da CONMEBOL