Cree en grande.
CONMEBOL

Castellanos destaca apoio da CONMEBOL: "É algo maravilhoso"

Castellanos destaca apoio da CONMEBOL: "É algo maravilhoso"

A estrela venezuelana Deyna Castellanos, embaixadora da CONMEBOL, destacou o apoio da entidade sul-americana ao futebol feminino na região, em uma conversa exclusiva com a CONMEBOL.com, onde também falou sobre suas conquistas e dificuldades que teve que superar para tornar-se uma jogadora de elite.

Considerada talvez uma das melhores futebolistas da América do Sul, no mesmo nível da estrela brasileira Marta, Deyna Castellanos, simples e com sorriso sincero, atendeu a CONMEBOL.com deixando testemunho da sua experiência ao longo de sua carreira, apesar de sua curta idade, conquistando vários troféus individuais e contribuindo para o crescimento da prática do futebol feminino em seu país.

Serena, esfrega as mãos e arruma a jaqueta ao caminhar, esboçando um sorriso tímido antes de se sentar para começar e pegar o microfone para falar com a equipe CONMEBOL.com, lembrando primeiro sua primeira incursão no futebol, que foi seguindo o seu irmão Álvaro, que ia aos treinos acompanhado por uma "intrépida Deyna, com apenas 5 anos de idade" naquele momento, começou a relatar com certo grau de saudade a capitã estelar e goleadora da seleção venezuelana Sub-20.

-Deyna, como foi seu primeiro encontro com o futebol?

- Eu somente ficava chutando a bola, correndo ao redor de onde meu irmão jogava e então um treinador me viu e falou imediatamente com meus pais pedindo para eu jogue porque jogava bem e sabia que eu gostava.

-Quando começou a jogar futebol você imaginou que iria passar por tudo o que está vivendo sendo tão jovem?

- Aos 5 anos eu não esperava, mas claro que quando fui crescendo fui me dando conta de que jogava bem e que poderia conquistar muitas coisas mais.

-Quais foram os principais obstáculos durante sua carreira?

- Então... em primeiro lugar muitas situações econômicas, lesões; como ir aos lugares de treinamentos. Apesar disso, graças a Deus, tive uma família que sempre me apoiou incondicionalmente... Sempre resolviam como fazer para que eu pudesse chegar aos lugares de concentração com a seleção, para poder ir aos torneios; e todos os problemas que tive.

-O que se diz àquelas pessoas que acham que o futebol é somente para homens?

- Minha mãe sempre me dizia que fizesse gols para mudar essa imagem que têm todos os que opinam que o futebol é somente para homens. O futebol é de todos e todas.

-Um momento importante de sua carreira?

- Na verdade me marcou o meu primeiro mundial; meu primeiro campeonato sul-americano. Cada torneio é bastante diferente e tem seus bons momentos... Também poder ir à gala da FIFA. Na verdade cada experiência é diferente e muito boa.

-Seus referentes no futebol?

- No futebol masculino eu vejo todos. Acho que cada jogador é muito diferente e tem muito nível. Não teria um favorito entre CR7 e Messi, entre Luis Suárez e Neymar, todos são jogadores muito bons e... a nível feminino, sempre foi Marta.

-Seus novos objetivos?

- Bom... Em curto prazo sería classificar para mais mundiais, e em longo prazo terminar minha carreira universitária, jogar em um bom clube profissional e seguir ganhando prêmios.

-O que representa para você ser a embaixadora da CONMEBOL?

- Para mim é algo importante…O que a CONMEBOL está fazendo para o desenvolvimento do futebol feminino é muito bom. O que a CONMEBOL está fazendo com a sua Liga de Desenvolvimento Sub-13, 14 e 16 é genial. E que me tenham tido em conta para ser embaixadora desse evento é algo que me fascina.

-Você acha que agora a CONMEBOL está apoiando mais o futebol feminino?

- Sim, claro, como estava dizendo, antes este tipo de torneios não eram vistos; antes estes tipos de projetos não eram vistos, e que a CONMEBOL esteja fazendo isso eu acho algo maravilhoso.

 

 

 

 

 

CONMEBOL.com