Cree en grande.
CONMEBOL

Copa das Confederações: representantes da CONMEBOL (I)

Copa das Confederações: representantes da CONMEBOL (I)

Este sábado inicia a 10° edição da Copa das Confederações. Em seus primeiros três certames foi conhecida como “Copa Rei Fahd” e organizada por Arábia Saudita. A partir de 1997, FIFA subiu de categoria elevando a quantidade de participantes a oito com o agregado do campeão do último mundial e do ganhador da Oceania. 

Os países da Conmebol sempre tiveram excelentes rendimentos, já que em só duas das nove edições não houve um deles na final. O representante nesta edição da CONMEBOL será a seleção chilena, que terá o acompanhamento do presidente da entidade, Alejandro Domínguez W-S.  

Atuação dos representantes da Conmebol (Parte 1) 

Arábia Saudita 1992: Argentina foi campeão superando a Costa do Marfim 4-0 na semifinal e o país anfitrião no match decisivo por 3-1. Gabriel Batistuta foi a figura da equipe e um dos goleadores do torneio junto a Bruce Murray dos Estados Unidos. 

Arábia Saudita 1995: Trás ganhar o grupo que compartilhou com Nigéria e Japão, Argentina foi derrotada na final ante Dinamarca por 2-0. Novamente apareceu Gabriel Batistuta na equipe albiceleste dirigida por Daniel Passarella. 

Arábia Saudita 1997: Pela primeira vez aparecem dois representantes da Conmebol. Brasil como campeão do mundo vigente e Uruguai como vencedor da mais recente Copa América. Ambos passaram sem sobressaltos suas respectivas zonas, mas na semifinal tiveram sorte diversa: o primeiro venceu República Checa 2-0, enquanto o segundo caiu com Austrália 1-0. Brasil foi finalmente o campeão goleando a Austrália 6-0 com Ronaldo e Romário como autores exclusivos, com três tantos cada um. Uruguai ficou em quarto lugar ao cair ante República Checa 1-0.

 

México 1999: Participaram Bolívia (ocupando a vaga do campeão da Copa América (Brasil)  que havia organizado dois anos antes e Brasil por haver saído segundo no Mundial 1998, já que seu vencedor (França), declinou a participação. Bolívia ficou eliminada no grupo que compartilhou com México, Arábia Saudita e Egito, enquanto o Brasil venceu nos três encontros de sua zona, atropelou a Arábia por 8-2 na semifinal, porém caiu na final ante México 4-3 em um grande cotejo. Ronaldinho foi grande figura e um dos três artilheiros da competição, com seis conquistas, junto ao mexicano Cuauhtemoc Blanco e a árabe Marzouw Al-Otaini.

 

 

CONMEBOL.com

E.B.