Cree en grande.
CONMEBOL

Copa Sul-Americana: a aventura do Chapecoense deixa atônito todo o continente

Copa Sul-Americana: a aventura do Chapecoense deixa atônito todo o continente

Quando o atacante Bruno Rangel chegou ao Chapecoense em 2013 se encontrou com um clube recém ascendido da segunda divisão brasileira, sem campo de treinamento nem ginásio.

Poucos retinham o nome desta equipe esquecida. Agora todo o continente o conhece, é o finalista da Copa Sul-Americana. E assim é graças ao pé salvador do goleiro Danilo no último minuto contra o San Lorenzo, por sua vitória nos pênaltis frente ao Independiente ou a goleada posterior sobre o Junior de Barranquilla. Porém, acima de tudo, graças ao descaramento de um time humilde que não teve medo de desfrutar de sua sorte. Porque nem sempre foi assim.

Debilitado pelos anos de luta nas duras divisões inferiores do futebol brasileiro, o ‘Verdão do oeste’ esteve a ponto de desaparecer há uma década. À margem da bancarrota, a existência do clube de Chapecó, no interior de Santa Catarina, parecia inviável. Ainda que a história recente destee clube de 43 anos de vida seja também de luta contra as probabilidades.

O Chapecoense viu a luz em 2009, quando conseguiu se classificar para a quarta divisão e aí começou a criar asas que, sete anos depois, passou a ser a revelação sul-americana e, ademais, com as contas saneadas. “O clube mudou muito desde a minha chegada. O ônibus era vem velhinho e agora é bom. Muitos jogadores não tinhan os meios para ir treinar de carro. Iam de ônibus aos treinos. Agora somos mais respeitados e conhecidos”, contou Rangel, máximo goleador da história do ‘Verdão’, ao jornal Lance.

Desde o seu regresso na elite em 2014, a equipe se instalou na zona média-baixa da tabela, pouco propícia às paixões. Ao menos, não as suficientes para atrair o público desta cidade de uns 200.000 habitantes que quase nada prestava atenção à sua equipe. Nem sequer conseguiu nesta temporada, onde o Chapecoense acumula uma média de pouco mais de 7.000 espectadores para os jogos do Brasileirão, de acordo com o site do Globoesporte.    

Para esta temporada o técnico do milagre, Guto Ferreira, mudou de equipe e na metade da temporada chegou Caio Junior. Novamente na Sul-Americana, o ‘Verdão’ perdeu no primeiro jogo contra sua própria réplica, o ainda mais modesto Cuiabá. O Chapecoense respondeu depois de volta e começou então a empreender uma viagem que o conduziu a uma final.

Fonte: http://www.eltelegrafo.com.ec/noticias/futbol-internacional/25/la-aventu...