Cree en grande.
CONMEBOL

DT Gustavo Alfaro comandará o argentino Boca Juniors

DT Gustavo Alfaro comandará o argentino Boca Juniors

O clube argentino Boca Juniors nomeou nesta quarta-feira, como novo técnico, o experiente Gustavo Alfaro substituindo Guillermo Barros Schelotto, que se afastou após a derrota para o River Plate na final da CONMEBOL Libertadores 2018.

"Depois de analisar os perfis (dos possíveis candidatos), foi a pessoa que entendemos no clube tinha capacidade e profissionalismo para ser responsável pelo Boca Juniors. E lhe damos as boas-vindas", disse Daniel Angelici, presidente do clube, ao apresentá-lo em uma conferência de imprensa.

Alfaro, de 56 anos, vem de ser diretor técnico do argentino Huracán.

O novo DT disse que sente uma "mistura de orgulho e desafio. Não foi uma decisão fácil, porque as situações dentro de mim se cruzavam. Mas eu sinto que estou cumprindo um compromisso que assumi com o meu velho (pai), eu prometi que chegaria ao maior do futebol argentino".

Barros Schelotto (45 anos), ex-atacante do Boca, foi o diretor técnico do clube nos últimos três anos. Seu contrato expirou em dezembro e foi tomada a decisão de não renová-lo.

Esta quarta-feira, mais cedo, o Los Angeles Galaxy apresentou Barros Schelotto como seu novo diretor técnico, segundo confirmado pelos executivos da franquia de futebol estadunidense da MLS.

"Eu sinto que estou em um lugar muito difícil. É um desafio estar na altura do Boca. Tive que trabalhar 25 anos para chegar a um lugar como este", disse Alfaro à imprensa.

Com uma longa carreira como DT e também comentarista em vários meios de comunicação da América Latina, Alfaro teve um breve período como meio-campista no Atlético de Rafaela.

 

- "Céu ou inferno" -

"A vara do boca é muito alta. Está obrigado a ganhar tudo o que confronta. Para mim, o Boca não tem purgatório: é céu ou inferno, é ganhar, ser campeão, essa é a meta", disse Alfaro sobre seu novo empenho.

Alfaro começará a treinar com o Boca na quinta-feira. O novo treinador estava confiante. "Eu tenho um time muito rico. O nível de exigência é alto, mas o nível de possibilidades também", disse ele.

A equipe "vem de jogar uma final da CONMEBOL Libertadores. Como ponto de partida o Boca tem tudo para lutar", garantiu.

Antes de chegar ao Boca, Alfaro dirigiu o Patronato de Paraná, Quilmes (ascendeu o time à primeira em 2003), Belgrano de Córdoba, Olimpo, San Lorenzo, Rosário Central, Al Ahli (Arábia Saudita), Tigre, Gimnasia La Plata, Huracán e Arsenal de Sarandi.

Com o Arsenal, ele ganhou a CONMEBOL Sul-Americana 2007, o Torneio Clausura 2012 da primeira divisão, a Supercopa Argentina 2012 e a Copa Argentina 2013.

Alfaro disse que com o Boca esses "são os últimos anos que vou dirigir".

Mas mostrou-se confiante e uma promessa apareceu. "Eu sinto que tenho um momento de plenitude. Se alguma coisa está faltando na minha carreira, é ganhar uma CONMEBOL Libertadores", afirmou.

 

 

AFP