Cree en grande.
CONMEBOL

"É mentira, a Conmebol não paga viagens": Ramón Jesurún

"É mentira, a Conmebol não paga viagens": Ramón Jesurún

Confidencial Colombia entrou em contato com o Vice-Presidente da Conmebol e também Presidente da Federação Colombiana de Futebol para conhecer de primeira mão quem é que contrata os serviços das aerolíneas para as viagens. Ramón Jesurún negou taxativamente que a Conmebol teria responsabilidade neste sentido e indicou que "cada clube é livre de escolher seu plano de viagem".
Quando foi revelada a notícia do trágico acidente que o avião que transportava a delegação da Chapecoense sofreu, as dúvidas envolveram a companhia aéria LaMia, na qual tinha se especializado nos últimos anos em realizar as viagens de numerosas equipes pertencentes à região da Conmebol. Atlético Nacional, Seleção Argentina, Seleção da Venezuela, Olimpia, entre outros... Mas quem contratava os serviços desta companhia aérea?
 
Durante todo o dia tinha sido especulado que a Conmebol fosse a encarregada de contratar as viagens para todas as equipes. Confidencial Colombia entrou em contato com o Vice-Presidente do ente futebolístico sul-americano e também Presidente da Federação Colombiana de Futebol, Ramón Jesurún, para esclarecer este ponto. "É mentira o que se está dizendo. A Conmebol não paga nenhuma viagem nem muito menos é quem contrata os serviços das companhias aéreas. Cada equipe decide seu próprio destino, voo, comida, alojamento e tudo que for necessário", explicou com clareza o mandatário colombiano.
 
Então por que esse escândalo por toda a imprensa? Segundo foram revelados os detalhes do método de funcionamento da duvidosa companhia aérea boliviana da tragédia, foi comprovado que esta não era a primeira ocasião que LaMia transportava uma equipe sul-americana. A coincidência de tantos conjuntos fez com que os olhares voltassem à Conmebol questionando-a como culpada de ter feito esses contratos. Coisa que Ramón Jesurún desmentiu para Confidencial Colombia.
 
"A Conmebol concede a cada clube seu ‘tanto’ por cento por direitos televisivos e outros assuntos, porém eles são livres de planificar sua viagem como queiram e de escolher a companhia aérea que quiserem", afirmou Ramón Jesurún. O mandatário confirmou que a organização ajuda os conjuntos neste sentido como está estipulado por regulamento, porém em nenhum caso se encarrega de contratar os serviços. Seu nome não aparece em nenhuma forma e portanto estão eximidos de qualquer responsabilidade neste assunto.
 
Por: Carlos Salas - @cdsalas/confidencialcolombia.com