Cree en grande.
CONMEBOL

Galería histórica

Las imágenes que construyeron la grandeza de América del Sur

El fútbol de América del Sur se construyó con generaciones de futbolistas y dirigentes que catapultaron al bien llamado “continente del fútbol”, al primer mundo de la excelencia.

Nadie podrá discutir la contribución de Sudamérica en el desarrollo del balompié universal, con personajes célebres, que peldaño a peldaño alcanzaron notoriedad, en base al sacrificio e integridad, constituyéndose en mensajeros del juego limpio, desde siempre…

CONMEBOL.com rinde su homenaje a miles de hombres y mujeres que con devoción tributaron, en el día a día, el más genuino sentimiento de pertenencia, exhortando la magnanimidad del fútbol como herramienta de convivencia pacífica, respeto y solidaridad y mejor calidad de vida entre los seres humanos.

Julio Matto, Roberto Trotta, capitão do Vélez Sarsfield, Ernesto Filippi, juiz principal, Zetti, capitão do São Paulo e Carlos Velázquez, trio uruguaio, na cidade paulistana. O time argentino ganhou nos pênaltis e se consagrou campeão.
Antes da partida final posam o trio paraguaio conformado por: Oscar E. Velázquez, Mario Lepe, capitão do Universidad Católica, Juan F. Escobar, juiz principal, Raí, capitão do São Paulo e Sabino Fariña. O tricolor se sagra campeão em Santiago do Chile.
Sport Boys do Peru na Libertadores de 92. J. Talavera, J. Rodriguez, J. Mastrillo, R. Asper, M. Duffó, M. Charún. Agachados: J. Jiménez, A. Alguedas, C. Moreno, M. Dos Santos e C. Henrique Paris. DT. Eduardo Antunes Coimbra.”Edú”.
Um momento histórico. Colo Colo se sagra campeão da América em 1991, e a anelada Copa está nas mãos de EDUARDO MENICHETTI, presidente da instituição, e do DT iugoslavo MIRKO JOZIC, dois gestores do primeiro título continental do futebol chileno.
Time do São Paulo, dirigido pelo inesquecível Telê Santana, campeão 1992 da Libertadores. Adílson, Iván, Zetti, Cafu, Ronaldão, Antônio Carlos. Abaixo: Müller, Pintado, Palhinha, Raí e Elivélton.
MARCO A. ETCHEVERRY, com a camiseta do Bolívar de La Paz, onde terminou sua notável carreira. Esta cena é da Libertadores de 1991, no camarim junto com Miguel Rimba e Soria, todos peças vitais da seleção boliviana na época.
Mais de 30 anos ligado ao futebol, primeiro como goleiro e depois como DT, sendo três vezes finalista com o América de Cali. Presente em 113 partidas da Copa. Um pioneiro do futebol colombiano por sua brilhante contribuição em hierarquizá-lo.
COPA AMÉRICA COLÔMBIA 2001. Dois protagonistas excepcionais formam parte da cerimônia do sorteio. O lendário goleador Willington Ortiz e o Sr. Efraín “Caimán” Sánchez, o primeiro grande goleiro da história colombiana. Em 10 de janeiro de 2001 no Centro de
ESTÁDIO JOSÉ AMALFITANI do Vélez Sarsfield, em Buenos Aires. O nome do estádio é em homenagem a um dos mais distinguidos dirigentes do futebol argentino, que contribuiu para a grandeza do Vélez.
O time paraguaio venceu o São Caetano nos pênaltis 4-2, após vencer o local 2-1, no jogo disputado no estádio do Pacaembu em 31 de julho de 2002.
O CLÁSSICO DE SEMPRE… Argentina x Uruguai... Luis Zubeldia da seleção alviceleste e o charrua Pablo Lima, em vigorosa carreira. O cenário corresponde ao Juventude da América, Equador 2001.
INTEGRANTES DA SELEÇÃO JUVENIL SUB-20 DO EQUADOR, ANO 2001. Salas, Iza, Gavilánez, Aragón, Intriago e Esterillas.
BRASIL, Campeão Juventude da América, Equador 2001. Na foto: Rubinho, Edú Dracena, Marquinhos, Adriano, Julio Baptista e Maincon. Abaixo: Ewerthon, Fernando, Anderson, Marcinho e Andrezinho. Superou o anfitrião Equador por 3-0.
Aparecem de esq. a dir.: Miguel Giacomuzzi (Par), Sisi, capitã do Brasil, árb. principal Martha Liliana Toro (Col), Noemí Morales, capitã da Argentina e Carlos Torres (Par). Foi a primeira vez das mulheres numa final sul-americana. Ano 1998.
Casa do Futebol Sul-Americano, 15 de setembro de 1999. Os diretores técnicos Nelson Acosta, Héctor Veira, Omar Pastoriza, Wanderley Luxemburgo e Sergio Markarián. Naquela ocasião foi definido o sistema para a eliminatória Coreia-Japão.
VENEZUELA estreia na Copa América de 1967. De pé: Vito Fassano, Antonio Ravelo, Freddy Ellie, Gustavo González, David Mota e Luis Zarzalejo. Abaixo: Argenis Tortolero, Ramón Naranjo, Salvador Gala, Luis Mendoza e Rafael Santana.
ROMÁN RIQUELME, na Libertadores de 1999. Boca Juniors, no jogo celebrado na cidade de Santiago do Chile, derrota Universidad Católica por 1-3.
SEMIFINAL DA LIBERTADORES 1965. R. GOICOECHEA, o árb. argentino, de notável trajetória, com os capitães do Santos, ZITO e Peñarol, N. GONCALVEZ. 31/03/65, estádio Monumental de Buenos Aires. Peñarol ganhou 2-1, e foi finalista ante Independiente de Avella