Cree en grande.
CONMEBOL

Galería histórica

Las imágenes que construyeron la grandeza de América del Sur

El fútbol de América del Sur se construyó con generaciones de futbolistas y dirigentes que catapultaron al bien llamado “continente del fútbol”, al primer mundo de la excelencia.

Nadie podrá discutir la contribución de Sudamérica en el desarrollo del balompié universal, con personajes célebres, que peldaño a peldaño alcanzaron notoriedad, en base al sacrificio e integridad, constituyéndose en mensajeros del juego limpio, desde siempre…

CONMEBOL.com rinde su homenaje a miles de hombres y mujeres que con devoción tributaron, en el día a día, el más genuino sentimiento de pertenencia, exhortando la magnanimidad del fútbol como herramienta de convivencia pacífica, respeto y solidaridad y mejor calidad de vida entre los seres humanos.

MIGUEL ANGEL BENÍTEZ do Paraguai, numa imagem que exibe seu talento. A albirroja, na cidade de Toulouse, superou a Nigéria 3-1, e se constituiu em protagonista do Mundial 98.
Juan Sebastián Verón, Ariel Ortega e Claudio López, em uma imagem de felicidade deslumbrante, após o 5-0 da Argentina sobre a Jamaica. Ocorreu em 20 de junho de 98 em Paris e Ortega fez dois gols, e Batistuta, três.
RONALDO no Mundial de 98. Aqui supera os noruegos Eggen e Berg. O Brasil foi finalista e cedeu ante os anfitriões liderados por Zinedine Zidane.
COLÔMBIA, França-1998. De esq. a dir.: Bermúdez, Mondragón, Rincón, Lozano e Palacios. Agachados: Cabrera, Valderrama, Santa, Asprilla, Serna e Aristizábal.
EXCELÊNCIA BRASILEIRA. DOMINGOS DA GUIA E ZIZINHO, JUNTOS. O primeiro era chamado de “Divino Mestre” pela ótimo desempenho como defensor. Zizinho, dono de uma marca indelével, é o máximo goleador da Copa América com 17 gols realizados.
JUAN ALBERTO SCHIAFFINO, mítico protagonista do Maracanaço, aqui com a camiseta do Milan da Itália, num amistoso ante o Boca Juniors, cujo capitão é Federico Edwards.
COLÔMBIA BI-CAMPEÃ DE TOULON, França. No jogo final empatou 1-1 com Portugal, nos pênaltis ganhou 3-1. A ansiedade no rosto dos colombianos. 3 de junho de 2000.
Buenos Aires, como tantas vezes é anfitriã da Copa América. A cosmopolita capital argentina e o parque automotor da época. Ano 1929.
Iván Zamorano, em todo seu esplendor, na briga pela bola com o paraguaio Julio César Enciso. Esta cena corresponde às Eliminatórias Coreia-Japão 2002.
COPA AMÉRICA 1945, A SELEÇÃO EQUATORIANA ENTRA AO ESTÁDIO NACIONAL DO CHILE. Empatou com a Bolívia 1-1, foi seu primeiro empate na história do torneio.
FOTO CLÁSSICA, QUE MUITAS POUCAS VEZES SE PUBLICA. Os capitães, Brandão, do Brasil e A. Muñiz, do Uruguai, junto aos impecavelmente vestidos de branco e calças compridas, juízes: M. Rojas (PAR), com os assistentes M. Soto (CHI) e E. Cuenca (PER).
COPA AMÉRICA 1941. Os integrantes da Seleção Argentina, em um moderno ônibus, percorrem as ruas de Santiago do Chile. Logo conquistaram a copa.
COPA AMÉRICA DE 1937. Os reservas da Seleção Brasileira observam deitados o jogo, alguns fumando. Não existia o banco de reservas. No cenário, o velho campo de futebol do Boca Juniors, onde logo seria construída a “Bombonera”.
Ganhou os jogos olímpicos de 1924, 1928 e a Copa do Mundo de 1930. Foi jogador do Nacional de Montevidéu e se consagrou 4 vezes campeão da AUF. Fez 306 gols em sua profícua carreira. Era chamado de “Mago”.
SANTOS, TRICAMPEÃO. Ano 1962. Lima, Zito, Dalmo, Calvet, Gilmar e Mauro. Sentados: Dorval, Mengalvio, Coutinho, Pelé e Pepe.
ESTUDIANTES DE LA PLATA, 4 TÍTULOS CAMPEÃO. Ano 1968, primeira conquista. Oscar Malbernat, Alberto Poletti, Raúl Madero, Rodolfo Fucceneco, Hugo Spadaro, Carlos Pachamé, Carlos Bilardo, Eduardo Flores, Felipe Ribaudo, Juan Ramón Verón e Marcos Conigliaro.
PEÑAROL, ERGUEU CINCO VEZES A COPA. Ano 1962: Luis Maidana, Juan Vicente Lezcano, Roberto Matosas, Néstor Goncálvez, Núber Cano e Edgardo González. Agachados: Pedro Virgilio Rocha, Moacyr, Jose Sasía, Alberto Spencer e Juan Joya.
BOCA JUNIORS, 6 vezes ganhador da Libertadores. Ano 1978, aparecem Jorge Ribolzi, Rubén Suñé, Franscico Sá, Hugo Gatti, Carlos Veglio e Ernesto Mastrángelo.