Cree en grande.
CONMEBOL

Galería histórica

Las imágenes que construyeron la grandeza de América del Sur

El fútbol de América del Sur se construyó con generaciones de futbolistas y dirigentes que catapultaron al bien llamado “continente del fútbol”, al primer mundo de la excelencia.

Nadie podrá discutir la contribución de Sudamérica en el desarrollo del balompié universal, con personajes célebres, que peldaño a peldaño alcanzaron notoriedad, en base al sacrificio e integridad, constituyéndose en mensajeros del juego limpio, desde siempre…

CONMEBOL.com rinde su homenaje a miles de hombres y mujeres que con devoción tributaron, en el día a día, el más genuino sentimiento de pertenencia, exhortando la magnanimidad del fútbol como herramienta de convivencia pacífica, respeto y solidaridad y mejor calidad de vida entre los seres humanos.

Deportivo Quito, ano 1969, na Libertadores. Seus adversários foram os temíveis Peñarol e Nacional de Montevidéu. Foto do livro "Memorias de un Triunfador".
Héctor Scotta, um dos mais temíveis rematadores da história do futebol argentino, diante da marcação de Elvio Ricardo Pavoni, num clássico San Lorenzo x Independiente, na década dos anos 70.
Néstor Isella, Alberto Foullioux e Juan Carlos Sarnari, figuras de destaque do Universidad Católica de 1969.
Assim nasceu a volta olímpica. Ano 1924, Uruguai campeão olímpico em Colombes, França. Os consagrados sul-americanos, deslumbram e saúdam a multidão dando a volta pelo campo.
ORURO ROYAL de 1913. O futebol germina na Bolívia e o continente sul-americano ganha espaço em todos os níveis da sociedade.
ALEXANDER WATSON HUTTON, considerado gestor da prática do futebol na Argentina. Foi fundador do English High School em 1884 e criou o Alumni, clube pioneiro que impulsionou a instauração de outras entidades similares.
NACIONAL DO PARAGUAI, 1916: Acima: Justo Ferreira, Roncoroni, Ramón González. No meio: Benítez, Manuel Fleitas Solich, Thompson. Abaixo: Nuñez, Casado, Clemente Ferreira, Báez e Escalada. Décadas depois apareceria o grande Arsenio Erico.
MÉXICO 1970. PELÉ NO SEU MÁXIMO ESPLENDOR. Com a Seleção Brasileira, conquista o tricampeonato Mundial da FIFA.
DE BARRACAS PARA O MUNDO…ALFREDO DI STÉFANO recebe a Ordem do Centenário da FIFA em Paris, do Presidente Joseph Blatter. Observa Emilio Butragueño, outro goleador espanhol. O argentino é uma referência futebolística no mundo. Aconteceu em 21/05/04.
JULIO MELENDEZ e HÉCTOR CHUMPITAZ, DOIS CÉLEBRES DEFENSORES erguem a COPA AMÉRICA que a Seleção Peruana ganhou em 1975. Foto: Livro 100 anos da ADFP.
RONALDO, EM SEU APOGEU E JAVIER MASCHERANO NO CLÁSSICO SUL-AMERICANO PELAS ELIMINATÓRIAS ALEMANHA 2006. Vitória brasileira 3-1. Os três obra de Ronaldo. O jogo foi em 2 de junho de 2004 em Belo Horizonte.
O paradoxo de um tempo que se foi: os três só jogaram em um clube. Onega, jogou e marcou em três edições pelo River Plate (ARG); Spencer e Morena vestiram a camisa do Peñarol, apesar do equatoriano ter disputado 6 jogos com o Barcelona de Guaiaquil.
ONCE CALDAS, CAMPEÃO DA AMÉRICA 2004. Em pé: Dairo Moreno, Edgar Cataño, Miguel Rojas, Samuel Vanegas, Jhon Viáfara, Juan Carlos Henao. Abaixo: Elkin Soto, John García, Rubén Dario Velázquez, Arnulfo Valentierra e Herly Alcázar. DT: Luís Fernando Montoya.
ALIANZA LIMA, na Libertadores de 1995. Jacinto Rodriguez, Pedro Monzón, Marcelo Sozzani, Carlos Enrique e Mario Rodriguez. Abaixo: Gerson Lente, Hinostroza, Juan Jayo, Muchotrigo, César Rosales e Marquinhos.
JAVIER ZANETTI, INTEGRANTE DA SELEÇÃO SUB-23, da Argentina, ante VICTOR PANIAGUA do Paraguai, no marco do Campeonato Panamericano disputado na cidade de Mar del Plata. Esta cena foi captada no dia 16 de março de 1996. Os anfitriões, campeões.
CARLOS ALBERTO GAMARRA, do Paraguai, marcado por JUAN ARANGO e GABRIEL URDANETA, da Venezuela. Estádio Defensores del Chaco, 5 de setembro de 2004. Vitória albirroja, com gol do primeiro nomeado, no jogo válido pelas Eliminatórias da Alemanha-2006.
IVAN KAVIEDES, O EQUADOR (autor do primeiro tanto, o segundo obra de E. Mendez) e RAFAEL OLARRA, do Chile, em uma cena captada no estádio Olimpico Atahualpa, no dia 10 de outubro de 2004. Equador ganhou 2-0, e deu um passo importante à sua clasificação
ELIMINATÓRIAS ALEMANHA 2006, ERWIN “PLATINI” SÁNCHEZ, histórico goleador boliviano, tenta superar a marcação de Pablo Garcia do Uruguai. Foi em 12 de outubro de 2004 na cidade de La Paz. Empataram sem gols.