Cree en grande.
CONMEBOL

Inicia o Brasileirão mais aberto e com muitas expectativas

×

Menssagem de erro

Notice: Undefined index: und em eval() (linha 1 de /data/www.conmebol.com/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_argument_default_php.inc(66) : eval()'d code).
Inicia o Brasileirão mais aberto e com muitas expectativas

 

Imprevisível e cada vez mais aberta, a liga brasileira começa este sábado com o vigente campeão Corinthians, o reforçado Palmeiras ou os temíveis Flamengo e Grêmio na caça de um título que na última década teve seis donos diferentes.

Porém, a edição deste ano vai parar tudo durante um mês, para não perder detalhe do Mundial da Rússia, em que a Seleção poderia voltar com sua sexta Copa.  

1. Hegemonia paulista

Maiores campeões históricos do Brasileirão, os times paulistas voltam a entrar com um passo na frente. Foram deles os três últimos títulos (dois para o Corinthians e um para o Palmeiras, em 2016) e não há previsão de que fiquem fora da luta por um troféu que ninguém ganhou mais que o 'Verdão', com nove taças, seguido pelo Santos (8) e Corinthians (7). 

Ainda que este ano já a primeira surpresa ficou pra trás. Reforçado com fichagens de qualidade como o meio de campo Lucas Lima e com um Miguel Borja que, finalmente, se sente cômodo, tudo parecia certo que o Palmeiras seria campeão do disputado torneio regional. 

Pela frente teve de encarar um Corinthians muito menos sedutor após a marcha de seu artilheiro Jô, mas que não perdeu a efetividade. Como já fizeram no ano passado, quando chegaram a estar cinco meses invictos, os pupilos de Fabio 'Pep' Carille deram uma volta nas expectativas e ganharam mais uma vez o torneio paulista, deixando claro que sempre se pode contar com eles.

2. Último desafio para Renato

Ganhou quase tudo com o Grêmio, onde é uma lenda viva com uma estátua a ponto de ser construída, mas para Renato Gaúcho ainda lhe falta algo: conquistar uma liga como técnico.

Com quatro troféus levantados desde que regressou ao 'tricolor' em setembro de 2016, incluindo a última Copa Libertadores, o novo desafio do carismático técnico é romper o último tabu do Grêmio, que leva 22 anos sem se apoderar do Brasileirão.

E, apesar do curso começar com uns tropeços, a temporada mal para los de Porto Alegre, recientes campeones del torneo regional. 

Para repetir o caminho do ano passado, onde conquistaram sua primera CONMEBOL Libertadores em mais de duas décadas, o Grêmio continua contando com importantes valores seguidos bem de perto por Tite, como os talentosos Luan e Arthur -com um pré-acordo com o Barça para sair em julho- ou o aguerrido zagueiro Pedro Geromel. 

A primeira prova para os gaúchos será neste sábado quando enfrentar o ressucitado Cruzeiro de Mano Menezes, que após temporadas escuras que vieram depois do seu bicampeonato no Brasileirão (2013-2014), levantou a cabeça com a passada Copa do Brasil. Também está de volta na CONMEBOL Libertadores e acaba de conquistar o campeonato mineiro com uma campanha quase perfeita.

3. Flamengo sob pressão

A pior cara do início do ano foi para o Flamengo. Pese contar com um plantel repleto de talento, em que se uniu o artilheiro do passado Brasileirão Henrique Dourado, o 'Mengão' escorregou no torneio carioca, ficou fora da final e despediu seu treinador, Paulo César Carpegiani, e seu diretor de futebol em apenas umas horas.  

Ainda em busca de um titular que retome o comando, o popular time carioca precisa endireitar o rumo.

Para levantar voo, o 'Mengão' conta com o retorno de Paolo Guerrero, que em maio acabará de cumprir seus seis meses de sanção por doping, a experiência de Diego, ou o potencial de sua brilhante geração de jovens como Lucas Paquetá e Vinicius Junior, que o Real Madrid pagou 45 milhões de euros.

4. Pausa, contas e sonho mundialista

Como costuma ser no futebol brasileiro, este ano o campeonato estará bem marcado pelo Mundial da Rússia.

Ainda que só uma minoria dos potenciais convocados de Tite e de outras seleções sul-americanas participam no Brasileirão, a liga local estará em pausa entre 13 de junho e 17 de julho.

Até então serão disputadas 12 jornadas que muitos acreditam ser fundamental para o triunfo final, seguindo o exemplo da volta do Corinthians no ano passado e que sentenciou o título.

Um bom início também será essencial para as equipes que queiram aceder às seis vagas da CONMEBOL Libertadores-2019, duas delas mediante fase prévia, e com as outras seis rumo à CONMEBOL Sul-Americana.

 

 

AFP