Cree en grande.
CONMEBOL

Qualidade técnica excelente das garotas na CONMEBOL Libertadores de Futsal Feminino

Qualidade técnica excelente das garotas na CONMEBOL Libertadores de Futsal Feminino

Partidas com alto grau de emoção e bom futsal, essa foi a impressão durante toda a CONMEBOL Libertadores de Futsal Feminino, onde as meninas do Uno Chapecó, sem dúvida alguma, foram as melhores coletivamente, consagrando-se campeãs invictas do certame. Porém, Sport Colonial teve a a melhor abandeirada, Paola Brítez, sendo a melhor jogadora e goleadora do torneio.

Fazendo uma análise no pódio do torneio que acabou no último sábado com Uno Chapecó (campeão); Sport Colonial (vice-campeão) e Trujillanos (terceiro posto); podemos destacar o bom jogo e profissionalismo das competidoras e, acima de tudo, augura-se um emergente desenvolvimento na disciplina, que teve um grande brilho em todos seus compromissos do certame que se realizou no Comitê Olímpico Paraguaio em Luque, Grande Assunção.   

-O poder do jogo em equipe-  

Rotação; posse de bola e um toque distinguido de suas jogadoras levou Uno Chapecó à glória. Ganhou todos seus encontros com autoridade e foi o conjunto com mais gols a favor (35) e o que menos recebeu (6).

As brasileiras basearam seu jogo em Micheli Tres Villa, talentosa jogadora possuidora de desequilíbrio no mano a mano, e protagonista nos jogos importantes, como na final, adiantando a equipe campeã contra Sport Colonial, com um soberbo remate desde uma sesgada esquina, quando apenas começava o cotejo.

A número 6 foi fundamental na campanha do campeonato, que acabou sábado com o título de campeão. “Estamos muito felizes com o campeonato que fizemos e com todas as vitórias. Sabemos que temos ainda aspectos que melhorar, mas hoje é a vez de festejar”, expressou Tres Villa ao canal lvp sport.

Micheli tem em seu legado ser capitã da seleção de Fustal Sub 20 do Brasil, que no ano passado conquistou o Sul-Americano da categoria que se disputou no Paraguai.

A contundência nos metros finais se deve ao jpgo coletivo. As brasileiras foram sempre quem impunham seu futebol, graças a notável qualidade em suas pernas, que incluiam a goleira, Patricia Moraes, que também fez bonito para adiantar as garotas do Uno Chapecó ante Colonial.

Com 9 gols, Brenda De Souza foi a mais goleadora da equipe campeã, acabando na terceira posição na tabela geral de anotadoras do certame.

Desta maneira, as brasileiras acabam um torneio excelente, com todos seus lances ganhados e com um jogo superlativo, marcando o coletivo.

-Ímpeto e destreza-

Sport Colonial ficou na segunda colocação após uma muito boa campanha, onde só perdeu um só jogo, e foi no encontro final ante Chapecó (4-2). As paraguaias – a diferença das campeãs- foram de mais fortaleza e espírito lutador, sem deixar de lado a qualidade, que neste caso recaiu em Paolo Brítez, habilidosa jogadora que ademais foi considerada a mais destacada do certame, com o plus de ser a goleadora com 11 conquistas.

A melhor dupla de Paola foi sua irmã Lorena, outra excepcional jogadora com vigor em suas corridas e disparo letal. Ambas foram as encarregadas de colocar o conjunto azul amarelo nas instâncias finais com coração de guerreiras e grande volume de jogo.

Paola e Lorena foram parte de diversos campeonatos demonstrando um superlativo nível, inclusive no ano passado participaram do Sul-Americano de Futsal Feminino Sub 20, onde acabaram no terceiro posto com a Albirroja da categoria.

A solidificação no fundo do conjunto que oficiou de local neste torneio estava assegurada pela destacada defesa de Priscila Back, de nacionalidade brasileira, quem foi o motor do Colonial, com fino toque desde a linha posterior.

Colonial no pudo ratificar su gran torneo con el título, pero queda el precedente del gran nivel plasmado en la palestra, para futuros campeonatos.

-Crescimento venezuelano-

Trujillanos foi o conjunto revelação do certame, contando com a contundência de sua goleadora Laviana Antequera, que só ficou a um gol abaixo de Paola Brítez (11 tantos), na tabela geral de anotadoras do certame.

Pelo terceiro posto, as venezuelanas foram novamente contundentes e entraram no pódio, graças a goleada sobre as chilenas do Palestino.

Por segundo año consecutivo, un equipo venezolano sube al podio de la CONMEBOL Libertadores de Futsal femenino; en 2016, Estudiantes de Guárico se quedó con el subcampeonato, y en esta oportunidad, el turno fue para Trujillanas FC, que se adueñó del tercer lugar. 

"Foi uma excelente experiência. O grupo se comportou à altura. Foi muito competitivo; de seis partidas só perdeu uma, e foi contra o campeão. Ainda mais ficamos a um tanto do ‘champion gol’ e obtivemos o prêmio Fair Play", indicou Karolina Moreno, assistente técnico do Trujillanos.

Venezuela avança no desenvovimento desta disciplina e certamente logo coroará com títulos sua vitrine.

 

 

CONMEBOL.com

Fotos: APF y Colonial