Cree en grande.
CONMEBOL

Tabárez: "Da minha parte não há nenhuma reprovação"

Tabárez: "Da minha parte não há nenhuma reprovação"

O treinador do Uruguai, Óscar Washington Tabárez, reconheceu a superioridade da França, que conseguiu passar às semifinais da Rússia 2018, mas destacou o esforço de seus jogadores para os quais não tem "nenhuma crítica".

"Eles nos fizeram gol de cabeça depois de muito tempo. É impossível não cometer erros no futebol ou na vida. A cabeça deve ficar erguida, porque da minha parte não há nenhuma reprovação. Seria contrariar o que eu penso sobre o futebol", disse o treinador do Uruguai, que reclamou uma atitude positiva para o futuro.

"A tentativa de melhorar é feita quando se dá sequência à algo. Sei que o Uruguai vai continuar com sua cultura futebolística, sua história. Há coisas positivas, indiscutíveis. Tristeza por não concretar o que sonhávamos", destacou.

"Todas as partidas de mata-mata são assim, é uma questão de detalhe. O primeiro gol foi o detalhe. Não sei quanto tempo não nos faziam um gol nessa situação. Hoje não conseguimos nos recuperar. O rival fez as coisas melhor, vejo a eliminação por esse lado", resumiu o treinador da equipe uruguaia.

“De positivo é o que viemos tentando há muito tempo, de vez em quando atingimos algo. A única coisa que terminou hoje foi um sonho. Virão as partidas de preparação, a Copa América, o início de uma nova fase de Eliminatórias. É preciso perseguir (os objetivos) e tentar conquistá-los", continuou o técnico, que se mostrou compreensivo com a decepção dos torcedores, mas lembrou as maiores decepções sofridas nesta edição do Mundial por outros favoritos.

Tabárez se negou a responsabilizar o goleiro Fernando Muslera pelo erro no segundo gol. "Jamais vou lavar as mãos com algum futebolista. Sobre esse assunto só falo no vestiário com Fernando Muslera".

O técnico uruguaio pediu para que valorizem e desfrutem o que a seleção nacional fez na Rússia 2018. "Os torcedores tinham esse sonho. Agora estão chocados. Que cresçam novos sonhos sempre. Não termina nada. Por sorte, o futebol e a competição têm uma continuidade. Nenhuma atividade humana em paz convoca tanta gente como uma Copa do Mundo, nos estádios, diante dos televisores, é uma festa".

Oscar Tabárez não quis falar sobre seu futuro na seleção. "Conheço pouco casos em que o treinador decide. Hoje terminou meu contrato e não vou falar sobre o tema porque não me compete. Uma declaração em qualquer sentido pode gerar matéria-prima para os jornalistas, mas seria prejudicial para mim e para a AUF. Esta etapa terminou. Aconteceu a mesma coisa no Mundial do Brasil e depois houve possibilidades de continuar", concluiu.

 

 

 

 

 

EFE