NOTICIA DESTACADA

Designação de árbitros para as jornadas 15 e 16 das Eliminatórias
Designação de árbitros para as jornadas 15 e 16 das Eliminatórias
CONMEBOL fortalece parceria com WADA para promover o fair play
CONMEBOL fortalece parceria com WADA para promover o fair play
CONMEBOL faz entrega de Licença Honorária de Treinador a campeões mundiais
CONMEBOL faz entrega de Licença Honorária de Treinador a campeões mundiais

265 milhões de pessoas jogam futebol no mundo inteiro

O sucesso dos vários investimentos da FIFA no desenvolvimento mundial do futebol não apenas se reflete no aumento do público presente nos jogos e de telespectadores, mas de acordo com as últimas estatísticas, também no número de pessoas que jogam futebol no mundo inteiro

O sucesso dos vários investimentos da FIFA no desenvolvimento mundial do futebol não apenas se reflete no aumento do público presente nos jogos e de telespectadores, mas de acordo com as últimas estatísticas, também no número de pessoas que jogam futebol no mundo inteiro. São 265 milhões de jogadores e jogadores, além dos cinco milhões de árbitros e funcionários.

Um total de 270 milhões, ou um 4% da população mundial participa ativamente no futebol. Este é o resultado impressionante da pesquisa da FIFA chamado “Big Count 2006”, realizada entre as suas 207 associações membro, que já foi realizado duas vezes, utilizando os mesmos critérios desde 2002, permitindo tirar conclusões interessantes sobre o desenvolvimento do futebol mundo.

Esta associação foi convidada a apresentar os números exatos da FIFA, na medida do possível, nas seguintes categorias: jogadores profissionais, jogadores maiores de 18 anos inscritos, jogadores com menos de 18 inscritos, jogadores de futsal e de futebol de areia, jogadores casuais, árbitros e funcionários. Todas estas categorias foram divididas em homens e mulheres ao apresentar as cifras.

Contudo, foi solicitado também o número de clubes e equipes pertencentes à jurisdição de cada associação. Cerca de 75% das associações-membro da FIFA participaram da pesquisa, um percentual semelhante à participação de 2002, que permite obter resultados confiáveis.

Embora a precisão das informações apresentadas pelas associações tenha melhorado substancialmente em comparação com o estudo de 2000, uma análise completa levanta algumas questões sobre a exatidão de alguns detalhes. Por exemplo, na categoria “jogadores casuais”, a cifra é difícil de estimar para as associações membro, uma vez que, por definição, não existiam dados fiáveis a respeito.

Para complementar os dados não disponíveis ou pouco plausíveis das associações, a Fifa utilizou o “Big Count 2000”, bem como um levantamento da UEFA de 2005 e outras estatísticas internas. Além disso, o estudo foi supervisionado por um renomado instituto especializado neste tipo de estudo.

Fonte: FIFA.com

Foto: AFP

Ultimas Noticias