Página inicio CONMEBOL

NOTICIA DESTACADA

Fixture para a 3ª Fase
Fixture para a 3ª Fase
Já temos 8 classificados na 3ª Fase da Libertadores
Já temos 8 classificados na 3ª Fase da Libertadores
Fluminense conquista a CONMEBOL Recopa 2024!
Fluminense conquista a CONMEBOL Recopa 2024!

Corinthians ergue a taça da CONMEBOL Libertadores Feminina 2023

  • O Timão conquista o seu quarto título da CONMEBOL Libertadores Feminina.

  • Na grande final clássica, venceu o Palmeiras por 1-0, no Estádio Pascual Guerrero de Cali – Colômbia.


Um gol de Millene, num jogo acirrado, conduziu a vitória corinthiana por 1-0 sobre o Palmeiras na Final da CONMEBOL Libertadores Feminina. Desse modo, o time paulistano ganhou seu quarto título do torneio continental, o que o torna o mais vencedor do campeonato.

No estádio Pascual Guerrero, na cidade colombiana de Cali, o tanto de Millene abriu o placar num duelo parelho, marcado por jogadas fortes e pela tensão de um clássico. As defesas de Lelê nas investidas finais do Verdão permitiram que o Timão ficasse com a vitória.



O único gol do jogo, obra do Corinthians, veio de uma jogada veloz pela lateral direita, na qual Portilho mandou um cruzamento que desviou em uma adversária e caiu no pé de Millene, que disparou um chute forte na área, impossível de ser defendido por Amanda.

No segundo tempo, o Palmeiras saiu em busca do gol do empate, mas se deparou com uma equipe que jogava muito bem em seu próprio campo e tratava de complicar o contra-ataque.

A chance mais clara veio da lateral Katrine, que deu um chute forte com o pé esquerdo, que foi defendido aos 90 minutos por Lelê, que, como no resto do torneio, respondeu quando a equipe mais precisava.

Depois vieram mais duas chances, que o Palmeiras não havia criado durante todo o jogo e que a goleira do Timão defendeu com habilidade, terminando a jornada como heroína.



– Números do jogo –

  • Corinthians conquista seu quarto título da CONMEBOL Libertadores Feminina (2017, 2019, 2021 e 2023), tornando-se o time com mais títulos do torneio, superando o São José (3).

  • Corinthians consegue sua segunda vitória em três jogos contra rivais conterrâneos na CONMEBOL Libertadores Feminina (1E). Ambos triunfos foram mantendo o arco intacto (2-0 x Ferroviária na final de 2019).

  • Corinthians manteve o arco zerado em cinco de seus últimos seis jogos da CONMEBOL Libertadores Feminina, abarcando toda a edição de 2023. O único gol que recebeu foi do Internacional pelas semifinais.

  • Em 11 de seus 12 jogos de CONMEBOL Libertadores Feminina, o Palmeiras teve mais posse que seu rival. Hoje regitrou 62.4%, sendo sua média geral de 60.9%.

  • Bia Zaneratto (Palmeiras) fez 12 toques de bola na área rival, sendo o segundo máximo registro na atual edição da CONMEBOL Libertadores Feminina, junto com Ysaura Viso (Colo-Colo x Libertad Limpeño) e só atrás de Madelin Riera (16, Barcelona x Caracas).

  • Lelê (Corinthians) realizou quatro defesas nesta final contra o Palmeiras, sua segunda melhor marca na atual CONMEBOL Libertadores Feminina, atrás das seis defesas contra o Internacional na semifinal. Ademais, defendeu 93.7% dos disparos que enfrentou, sendo o registro mais alto entre aquelas que jogaram três ou mais partidas no atual torneio.

  • Tarciane, apesar de ter sido expulsa, fez oito desvios na final contra o Palmeiras, o maior número em apenas um único jogo de uma futebolista do Corinthians na atual edição da CONMEBOL Libertadores Feminina.

  • Millene, autora do gol do Corinthians na final, foi a jogadora do Timão que fez mais finalizações (4), liderando em passe no último terço (9), duelos ganhos (7, junto com Gabi Portilho) e entradas (6).

  • Katrine Costa e Bruna Calderan realizaram 10 recuperações cada neste jogo, sendo o terceiro registro mais alto para jogadoras do Palmeiras na atual edição da CONMEBOL Libertadores Feminina em um mesmo encontro, atrás de Andressinha (11 x Barcelona) e Amanda (11 x Atlético Nacional na semifinal).

  • Gabi Zanotti (Corinthians) com 38 anos e 236 días, é a jogadora de maior idade em jogar uma final da CONMEBOL Libertadores Feminina, contando as últimas duas edições (2022 e 2023).


CONMEBOL.com / EFE / OPTA

Ultimas Noticias