Página inicio CONMEBOL

NOTICIA DESTACADA

Fluminense conquista a CONMEBOL Recopa 2024!
Fluminense conquista a CONMEBOL Recopa 2024!
Encontro entre CONMEBOL e CBF no âmbito do Programa CONMEBOL Evolución 2024
Encontro entre CONMEBOL e CBF no âmbito do Programa CONMEBOL Evolución 2024
Fluminense x Liga de Quito, duelo de titãs na final
Fluminense x Liga de Quito, duelo de titãs na final

Glória Eterna Tricolor! Fluminense é campeão da CONMEBOL Libertadores!


  • O time brasileiro alcançou a Glória Eterna ao ganhar do Boca Juniors por 2-1 na Final da CONMEBOL Libertadores 2023, disputada no Estádio do Maracanã do Rio de Janeiro.
  • Germán Cano e John Kennedy converteram os gols que deram ao ‘Flu’ seu primeiro título.


O Fluminense FC venceu a CONMEBOL Libertadores pela primeira vez em sua história após uma final emocionante em pleno Maracanã, derrotando o Boca Juniors por 2 a 1 na prorrogação e conquistando o título continental.



Um gol do argentino Germán Cano e outro do juvenil John Kennedy permitiram que o Fluminense escrevesse seu nome na grande história da CONMEBOL Libertadores.

O Flu, que dominou uma partida em que Cano foi o artilheiro do torneio, finalmente entrou para o grupo de clubes brasileiros que alcançaram a Glória Eterna e realizou o sonho que deixou escapar há quinze anos, quando perdeu na final da edição de 2008.



– Boca Juniors (ARG) 1-2 Fluminense (BRA) –

Os primeiros minutos do jogo foram de total domínio do time carioca que, com um jogo envolvente de passes longos e curtos, partiu totalmente para o ataque e praticamente não deixou o Boca passar do meio de campo.

Os ataques da equipe brasileira, pela esquerda com Arias e pela direita com Keno e Marcelo, foram cada vez mais perigosos e, por duas vezes consecutivas, obrigaram Advíncula a recorrer a faltas para frear Keno.

Aos 35 minutos do segundo tempo, após uma jogada pela direita com Arias e Keno, este lançou a bola na área para que Cano anotasse seu 13º gol na CONMEBOL Libertadores.



Com a vantagem parcial, o Flu manteve o domínio e administrou os últimos minutos do primeiro tempo com trocas de passes.

Embora os xeneizes tenham tentado reagir no início do segundo tempo e gerado mais chances, principalmente por meio de Merentiel, o Fluminense quase ampliou a vantagem aos 54 minutos, depois que Arias e Keno procuraram novamente Cano, mas Romero se antecipou a eles.

O time brasileiro foi retomando o controle do jogo, mas o Boca não desistiu de tentar o empate.

Em um dos ataques dos ‘porteños’, a equipe brasileira deu muito espaço e o peruano Advíncula, com um disparo forte de fora da área, empatou a partida aos 71 minutos.

Depois do empate, o jogo perdeu um pouco do ritmo e da intensidade, pois os técnicos fizeram várias trocas pensando numa possível prorrogação, embora a entrada de John Kennedy tenha dado ao Fluminense um pouco mais de poder ofensivo.



No primeiro tempo da prorrogação, o jogo foi disputado mais no centro do campo, com as duas equipes se revezando no domínio e sem muitas finalizações. Mas quando o Boca parecia mais interessado nos pênaltis, John Kennedy aproveitou um ataque do Fluminense para marcar o gol do título aos 99 minutos, após uma jogada de Barbosa e Keno.



– Números do jogo –

  • Fluminense é o primeiro time a vencer a CONMEBOL Libertadores pela primeira vez, eliminando os times campeões em todas as fases eliminatórias desde 1989.

  • O Fluminense é o primeiro na história da CONMEBOL Libertadores a conquistar o título depois de ter enfrentado Boca Juniors e River Plate (1V 1D) durante a competição.

  • Keno (Fluminense) é o primeiro jogador desde 2013 a dar assistência para dois gols em uma final da CONMEBOL Libertadores.

  • Fábio, o jogador com mais vitórias (57) na história da CONMEBOL Libertadores, chegou à sua 100ª partida na competição. Apenas Ever Hugo Almeida (113) e Sergio Aquino (107) chegaram a 100 jogos disputados no torneio.

  • Germán Cano é o segundo jogador argentino a marcar um gol em uma final da CONMEBOL Libertadores para um time brasileiro, ao lado de Darío Conca pelo Fluminense contra LDU Quito no jogo de ida da final de 2008.

  • John Kennedy é o sexto jogador a anotar um gol nas oitavas, quartas, semifinais e final da CONMEBOL Libertadores, juntando-se a Gabriel Barbosa (2019), José Sand (2017), Juan Román Riquelme (2007), Víctor Bonilla (1999) e Mário Jardel (1995).

  • Germán Cano, do Fluminense, é o quinto jogador a fazer 13 gols ou mais em uma única edição da CONMEBOL Libertadores, juntando-se a Palhinha em 1976 (13), Norberto Santiago Raffo em 1967 (14), Luizão em 2000 (15) e Daniel Onega em 1966 (17).

  • Felipe Melo é o primeiro brasileiro a conquistar três títulos da CONMEBOL Libertadores, dois com o Palmeiras (2020-2021) e um com o Fluminense (2023).



  • Marcelo é o quinto jogador a vencer primeiro a UEFA Champions League (2014, 2016, 2017, 2018 e 2022) e depois a CONMEBOL Libertadores (2023), ao lado de Rafinha (Bayern de Munique em 2013 e Flamengo em 2019), Ronaldinho (Barcelona em 2006 e Atlético Mineiro em 2013), Ramires (Chelsea em 2012 e Palmeiras em 2020) e David Luiz (Chelsea em 2012 e Flamengo em 2022).

  • Fluminense teve mais posse de bola do que seus adversários em cada uma das 13 partidas que disputou nesta edição da CONMEBOL Libertadores. O campeão teve uma média de 60% de posse de bola na competição.

  • Fluminense não conquistou apenas o título: Germán Cano foi o artilheiro da atual CONMEBOL Libertadores com 13 gols, e seu colega de equipe Keno, com cinco assistências, é o máximo assistente da competição.




CONMEBOL.com / EFE / OPTA

Ultimas Noticias