Página inicio CONMEBOL

NOTICIA DESTACADA

Brasil é semifinalista no Mundial de Beach Soccer
Brasil é semifinalista no Mundial de Beach Soccer
Colômbia e Brasil vencem na 1ª rodada da W Gold Cup
Colômbia e Brasil vencem na 1ª rodada da W Gold Cup
Liga de Quito x Fluminense: saiba mais sobre o jogo de ida
Liga de Quito x Fluminense: saiba mais sobre o jogo de ida

Valencia: “Nós, equatorianos, sabemos o que é Acreditar Sempre”

  • Em uma palestra exclusiva da CONMEBOL.com, Enner Valencia falou sobre os desafios que superou para alcançar o sucesso em sua carreira no futebol.

  • Ele também comentou sobre a mudança de pensamento no futebol equatoriano e como os jogadores agora acreditam sempre.


Enner Valencia, destacado atacante da seleção equatoriana e do Internacional do Brasil, com uma carreira de sucesso no futebol sul-americano e internacional, cresceu e teve seu primeiro contato com o futebol em uma pequena localidade do Equador chamada Ricaurte, onde passou a infância com toda a sua família, segundo comenta “sempre jogando futebol, sempre com amor pelo futebol”.

“É verdade que eu não tinha muitas coisas ou, se precisasse delas, não tinha dinheiro para comprá-las, como um par de chuteiras para jogar futebol, que se você jogasse com elas por uma semana inteira, se danificavam, então você tinha que jogá-las fora e comprar novas. Era complicado”, disse Valencia sobre essa fase de sua vida.

“Eu estava sempre com meu pai e meu avô, porque tínhamos algumas fazendas, onde tínhamos vacas, e às vezes eu tinha que ordenhá-las para conseguir leite para vender, e também tinha que vender limões para poder comprar chuteiras e jogar futebol”, acrescentou.

Durante a sua adolescência, Valencia se mudou para a província equatoriana de Sucumbíos, onde se formou nas categorias de base do Caribe Junior, antes de jogar pela equipe da província no Campeonato Nacional de Equipes Provinciais.

“Tive uma boa infância, até a adolescência, quando me afastei um pouco da minha família porque fui para outra área do Equador e a situação lá era um pouco mais difícil”, comentou.

Para Valencia, o esforço e os desafios que ele teve que enfrentar durante sua vida e carreira têm um lado positivo.

“Esses testes transformam você em uma pessoa diferente, um pouco mais forte, com caráter, porque dá para ver que, ao passar por esses tipos de dificuldades, isso gera mudanças, marca a sua vida”, disse ele.

Em 2008, Valencia se transferiu do Caribe Junior para o Emelec, mas teve que esperar dois anos para fazer sua estreia profissional na equipe de Guaiaquil. A partir de então, foi conquistando um lugar, e sua velocidade e desempenho excepcional lhe renderam uma convocação para a seleção equatoriana.

“Me fez mais forte, me fez saber tudo o que estava acontecendo, quando pude fazer minha estreia percebi que valeu a pena e ainda estou desfrutando”, disse ele sobre a espera pela estreia.

Sobre a seleção, Enner Valencia acredita que “a mentalidade do jogador de futebol equatoriano está mudando”, que eles não querem apenas participar, mas vencer.

“Acreditamos sempre, acreditamos que podemos realizar muitas coisas e esse é o caminho que estamos traçando para as próximas gerações”, concluiu.

Além do Emelec, Valencia também jogou pelo Pachuca e Tigres no México, West Ham United e Everton na Premier League inglesa, Fenerbahçe na Turquia e atualmente joga pelo Internacional no Brasil.

Com a seleção equatoriana, ele disputou as Copas do Mundo da FIFA Brasil 2014 e Catar 2022, nas quais marcou 3 gols em 3 partidas disputadas em cada uma delas. Ele também participou de quatro edições da CONMEBOL Copa América, nas quais marcou 5 gols no total, e de quatro Eliminatórias Sul-Americanas, nas quais marcou 9 gols.




CONMEBOL.com

Ultimas Noticias