Página inicio CONMEBOL

NOTICIA DESTACADA

Confira os dados dos jogos de ida da 2ª Fase
Confira os dados dos jogos de ida da 2ª Fase
Paraguai inicia com pé direito
Paraguai inicia com pé direito
Liga de Quito sai na frente no jogo de ida
Liga de Quito sai na frente no jogo de ida

“Diego imortal”, o grito da CONMEBOL Tree Of Dreams dois anos após sua partida

  • Sob a mesma estrela do 10 foi chamado o evento organizado pela Confederação Sul-Americana de Futebol na CONMEBOL Tree Of Dreams em Doha, Qatar, para lembrar Diego Maradona.
  • Cerca de 500 pessoas, incluindo torcedores, autoridades, jornalistas e grandes expoentes do futebol mundial, estiveram presentes na sexta-feira 25 para lembrar o lendário jogador argentino, dois anos após sua morte.

Qatar é a primeira Copa do Mundo sem a presença de seu maior promotor e protagonista, porém, a CONMEBOL o lembrou na sexta-feira, 25 de novembro, como se ele nunca tivesse saído, junto com seus velhos amigos, companheiros e colegas, cantando canções em sua memória e apresentando “A Bola Que Não Mancha”.

“Diego é imortal desde aquele dia em que marcou aquele gol inesquecível”, disse o presidente da CONMEBOL, Alejandro Domínguez, que também destacou que Maradona “contribuiu para fazer da Copa do Mundo o que ela é hoje”.

“Diego vive em cada jogada, em cada passe de gol, em cada drible, é por isso que nesta Copa do Mundo o lembramos novamente porque Diego é imortal”, disse um presidente Dominguez visivelmente emocionado.

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, apoiou as palavras de Domínguez e propôs que a partir de agora deveria haver um dia de lembrança para Maradona em cada Copa do Mundo.

“Diego é único. Não só temos que homenagear Diego, mas celebrar porque ele fez tantas pessoas se apaixonarem por nosso esporte e ninguém mais fez isso”, disse Infantino.

Também participaram do evento jogadores de outras gerações como Diego Simeone, Javier Zanetti e Juan Pablo Sorín, assim como o brasileiro Mauro Silva, o paraguaio Roque Santa Cruz e até mesmo o búlgaro Hristo Stoichkov, que ficou emocionado com a memória de seu ídolo.

“Ele veio para a Copa do Mundo com um propósito, para ser o melhor do mundo e exagerou do início ao fim. Como os grandes mestres da pintura, ele fez esboços até completar sua obra mais maravilhosa contra a Inglaterra”, disse Jorge Valdano, campeão da Copa do Mundo com Maradona em 1986.

O ex-atacante falou em nome de todos os seus companheiros de equipe de 1986 e dos campeões mundiais de 1978 presentes no evento celebrado na CONMEBOL Tree Of Dreams em Doha, Qatar.

Campeões 1978:

Ubaldo Fillol

Mario Kempes

Daniel Bertoni

Ricardo Villa

Osmar Larrosa

Alberto Tarantini

Campeones 1986:

Nery Pumpido

Oscar Ruggeri

Jorge Burruchaga

Ricardo Giusti

Sergio Batista

Claudio Borghi

Carlos Tapia

Talento inato, veloz e corajoso, Diego é o nome do DNA do futebol sul-americano. Conquistou a Copa do Mundo com a seleção argentina sempre apostando no ‘Acreditar Sempre’.

CONMEBOL.com

Ultimas Noticias