NOTICIA DESTACADA

Colômbia inicia com pé direito, Brasil iguala estreia no Mundial Sub-20 Feminino
Colômbia inicia com pé direito, Brasil iguala estreia no Mundial Sub-20 Feminino
Workshop de Preparação de Gramado com a mira na Final da CONMEBOL Libertadores 2022
Workshop de Preparação de Gramado com a mira na Final da CONMEBOL Libertadores 2022
CONMEBOL Sudamericana entra na fase de definições
CONMEBOL Sudamericana entra na fase de definições

Colômbia vai pela história e Brasil por manter a hegemonia

  • Colômbia e do Brasil se enfrentarão neste sábado (30) pelo título da CONMEBOL Copa América Feminina 2022.
  • As ‘cafeteiras’ entram na luta pela primeira estrela, enquanto a ‘Canarinha’ buscarão a conquista da oitava taça, na nona edição do torneio.
  • Pela primeira vez, o certame conta com prêmios monetários: a equipe vencedora receberá USD 1.500.000 e a vice-campeã USD 500.000.

O grande momento chegou, neste sábado, a partir das 19:00h (hora local), será definida o campeão da CONMEBOL Copa América Feminina 2022. Colômbia, com o poder da torcida e Brasil com o peso de sua história se enfrentarão na grande final, a ser disputada no estádio Alfonso López, em Bucaramanga.

Cerca de 25.000 almas acompanharão as ‘cafeteiras’ em sua partida contra o Brasil pelo título da América.

Por um lado estarão as últimas campeãs e maiores vencedoras da competição: Brasil conquistou sete dos oito títulos, a única vez que não levantou o troféu foi em 2006, quando a Argentina foi campeã.

Chegaram a esta instância após se classificarem em primeiro lugar no Grupo B, ganhando todos os jogos, marcando 17 gols e não sofrendo nenhum. E com Adriana como máxima artilheira.

Nas semifinais, a Canarinha de Pia Sundhage, que poderia se tornar a primeira DT a conquistar este título, venceu o Paraguai por 2 a 0 para avançar para a final deste sábado às 19h00 (horário local).

A Colômbia também teve um torneio inesquecível: pela segunda vez na história chegaram à final de maneira invicta, depois de vencer todas as quatro partidas do Grupo A. Na semifinal contra a Argentina, venceu por 1 a 0 com gol de uma de suas melhores jogadoras, Linda Caicedo, de apenas 17 anos, mas com um futuro que já é uma realidade.

Independentemente de quem erguer o troféu, ambas as equipes já se classificaram para a Copa do Mundo Feminina da FIFA 2023 da Austrália e Nova Zelândia, além de garantirem sua passagem para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. O Brasil nunca perdeu nenhuma dessas duas competições desde o início da participação feminina.

VAR e prêmio monetário

A Grande Final terá duas novidades em comparação às edições anteriores. Por um lado, o VAR (Árbitro Assistente de Vídeo) será implementado pela primeira vez na história, marcando um novo passo na história do futebol feminino sul-americano, que continua a crescer de forma constante. E, além disso, é mais uma aposta da CONMEBOL com a justiça esportiva no campo de jogo.

Pela primeira vez, ambas as equipes receberão um prêmio monetário. As campeãs receberão US$ 1.500.000 e as vice-campeãs, US$ 500.000.

A partida será disputada em 90 minutos, em caso de empate, a final contará com prorrogação em dois tempos de 15 minutos, e caso persistir a igualdade, a decisão será nos pênaltis.

– Antecedentes –

  • Brasil nunca perdeu para a Colômbia na CONMEBOL Copa América Feminina (5V 1E), marcando 34 gols e sofrendo apenas dois. No entanto, a Colômbia é uma das duas únicas equipes que conseguiu evitar a derrota contra a Canarinha junto com Argentina (2V), ao empatar 0-0 em 2014.
  • Se vencer o Brasil, a Colômbia poderá conquistar seis vitórias consecutivas na CONMEBOL Copa América Feminina pela primeira vez na história do torneio. Atualmente está empatada em cinco com uma racha entre 2010 e 2014.
  • As seleções do Brasil e da Colômbia não só chegam invictas na Final da CONMEBOL Copa América Feminina 2022, também não chegaram a estar nem um minuto abaixo do placar durante toda a competição.
  • Brasil (62%) e Colômbia (57%) são as duas seleções com maior média de posse na atual CONMEBOL Copa América Feminina 2022. Além disso, são as equipes com maior média de passes mais longos por posse iniciados: Brasil com 4.6 e Colômbia com 4.2, a média da competição é de 3.2
  • Brasil e Colômbia são as duas equipes que receberam menos chutes a gol na CONMEBOL Copa América Feminina 2022: ambas só levaram 1.4 disparos por jogo.
  • Brasil (6.1) e Colômbia (6.3) são as duas seleções que permitiram menos passes por ação defensiva dos seus rivais na atual CONMEBOL Copa América Feminina: a média por equipe na competição é de 7.8.
  • Brasil poderia chegar aos 4 jogos sem sofrer gols na Fase Final da CONMEBOL Copa América Feminina pela segunda vez em sua história se ganhar da Colômbia com o arco intacto. A última foi entre 2003 e 2006 (4PJ – 4V).
  • Enfrentam-se na final as duas equipes com mais levantamentos à área no torneio: Colômbia lidera com 68, enquanto o Brasil tem 1 a menos (67).
  • Brasil (1.4) e Colômbia (1.8) possuem as médias mais baixas por jogo de levantamentos à área conectados por seus rivais na competição. A média da CONMEBOL Copa América Feminina 2022 é de 4.0 por seleção,
    por jogo.
    Debinha é a jogadora com mais chutes a gol dentro da área na atual CONMEBOL Copa América Feminina, com 7.

OPTA / CONMEBOL.com

Últimas Noticias