NOTICIA DESTACADA

Seis seleções com o sonho intacto na Fase Final da CONMEBOL Sub-20
Seis seleções com o sonho intacto na Fase Final da CONMEBOL Sub-20
Árbitros sul-americanos convocados para o Mundial de Clubes 2022
Árbitros sul-americanos convocados para o Mundial de Clubes 2022
Mastercard estende acordo com a CONMEBOL Libertadores até 2026 e inclui a CONMEBOL Libertadores Feminina em seu portfólio de patrocínios na região
Mastercard estende acordo com a CONMEBOL Libertadores até 2026 e inclui a CONMEBOL Libertadores Feminina em seu portfólio de patrocínios na região

“Diego imortal”, o grito da CONMEBOL Tree Of Dreams dois anos após sua partida

  • Sob a mesma estrela do 10 foi chamado o evento organizado pela Confederação Sul-Americana de Futebol na CONMEBOL Tree Of Dreams em Doha, Qatar, para lembrar Diego Maradona.
  • Cerca de 500 pessoas, incluindo torcedores, autoridades, jornalistas e grandes expoentes do futebol mundial, estiveram presentes na sexta-feira 25 para lembrar o lendário jogador argentino, dois anos após sua morte.

Qatar é a primeira Copa do Mundo sem a presença de seu maior promotor e protagonista, porém, a CONMEBOL o lembrou na sexta-feira, 25 de novembro, como se ele nunca tivesse saído, junto com seus velhos amigos, companheiros e colegas, cantando canções em sua memória e apresentando “A Bola Que Não Mancha”.

“Diego é imortal desde aquele dia em que marcou aquele gol inesquecível”, disse o presidente da CONMEBOL, Alejandro Domínguez, que também destacou que Maradona “contribuiu para fazer da Copa do Mundo o que ela é hoje”.

“Diego vive em cada jogada, em cada passe de gol, em cada drible, é por isso que nesta Copa do Mundo o lembramos novamente porque Diego é imortal”, disse um presidente Dominguez visivelmente emocionado.

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, apoiou as palavras de Domínguez e propôs que a partir de agora deveria haver um dia de lembrança para Maradona em cada Copa do Mundo.

“Diego é único. Não só temos que homenagear Diego, mas celebrar porque ele fez tantas pessoas se apaixonarem por nosso esporte e ninguém mais fez isso”, disse Infantino.

Também participaram do evento jogadores de outras gerações como Diego Simeone, Javier Zanetti e Juan Pablo Sorín, assim como o brasileiro Mauro Silva, o paraguaio Roque Santa Cruz e até mesmo o búlgaro Hristo Stoichkov, que ficou emocionado com a memória de seu ídolo.

“Ele veio para a Copa do Mundo com um propósito, para ser o melhor do mundo e exagerou do início ao fim. Como os grandes mestres da pintura, ele fez esboços até completar sua obra mais maravilhosa contra a Inglaterra”, disse Jorge Valdano, campeão da Copa do Mundo com Maradona em 1986.

O ex-atacante falou em nome de todos os seus companheiros de equipe de 1986 e dos campeões mundiais de 1978 presentes no evento celebrado na CONMEBOL Tree Of Dreams em Doha, Qatar.

Campeões 1978:

Ubaldo Fillol

Mario Kempes

Daniel Bertoni

Ricardo Villa

Osmar Larrosa

Alberto Tarantini

Campeones 1986:

Nery Pumpido

Oscar Ruggeri

Jorge Burruchaga

Ricardo Giusti

Sergio Batista

Claudio Borghi

Carlos Tapia

Talento inato, veloz e corajoso, Diego é o nome do DNA do futebol sul-americano. Conquistou a Copa do Mundo com a seleção argentina sempre apostando no ‘Acreditar Sempre’.

CONMEBOL.com

Ultimas Noticias