NOTICIA DESTACADA

Seis seleções com o sonho intacto na Fase Final da CONMEBOL Sub-20
Seis seleções com o sonho intacto na Fase Final da CONMEBOL Sub-20
Árbitros sul-americanos convocados para o Mundial de Clubes 2022
Árbitros sul-americanos convocados para o Mundial de Clubes 2022
Mastercard estende acordo com a CONMEBOL Libertadores até 2026 e inclui a CONMEBOL Libertadores Feminina em seu portfólio de patrocínios na região
Mastercard estende acordo com a CONMEBOL Libertadores até 2026 e inclui a CONMEBOL Libertadores Feminina em seu portfólio de patrocínios na região

O 11 ideal sul-americano da Fase de Grupos do Mundial 2022

  • OPTA, a agência especializada em estatísticas de futebol, elaborou o 11 ideal com jogadores sul-americanos da Fase de Grupos da Copa do Mundo – Catar 2022.
  • Os jogadores foram eleitos de acordo com seu desempenho individual, com base em estatísticas compiladas pela agência.

A CONMEBOL, através de sua agência de estatísticas OPTA, lançou o 11 ideal com jogadores sul-americanos que disputaram na Fase de Grupos do Mundial 2022, que está sendo realizado em Doha – Catar.

A equipe tem uma formação de 4-3-3 e é composta por jogadores do Equador, Uruguai, Argentina e Brasil, de acordo com seu desempenho estatístico individual nas três partidas disputadas durante a Fase de Grupos.

FORMAÇÃO 4-3-3

Goleiro:

Sergio Rochet (Uruguai)

Manteve seu arco intacto em duas das três partidas, fez cinco defesas (o máximo para um goleiro de seleções CONMEBOL), incluindo o pênalti contra Gana. Também teve uma média positiva de 1,13 de gols evitados, a sétima maior entre todos os goleiros do torneio: sofreu apenas dois tantos em sete chutes a gol, cujos gols esperados (xG) acumularam 3,13.

Zagueiros

Nahuel Molina (Argentina)

Esteve em campo por 207 minutos durante os três jogos. Tentou 128 passes com 85% de eficácia (88% em campo rival), incluindo a assistência para o primeiro gol da Argentina contra a Polônia. Ademais, só cometeu duas faltas.

Nicolas Otamendi (Argentina)

Sua contribuição foi importante para que a Argentina terminasse a primeira fase como a equipe com o menor número de finalizações recebidas (11). Realizou oito cortes e ganhou 71% dos 31 duelos em que participou. Além disso, foi o segundo jogador com mais toques para sua seleção (305), atrás apenas de Rodrigo De Paul (350).

Thiago Silva (Brasil)

Em suas duas partidas como titular, o Brasil não sofreu nenhum gol e recebeu apenas 11 chutes a gol. Foi também uma opção de saída para sua equipe, completando 93% dos 174 passes que tentou, incluindo uma assistência a gol.

Pervis Estupiñán (Equador)

Liderou a Tri em assistências (5) e cruzamentos (17, sétimo em toda a competição). Além disso, foi o segundo jogador de sua equipe com mais passes em campo adversário (71, 82% de eficiência). Na defesa, contribuiu com seis desvios, três interceptações e um tiro bloqueado.

Meio-campistas

Casemiro (Brasil)

Além de seu habitual jogo de distribuição (85% de eficácia em 113 tentativas de passes) e marcação (cinco interceptações, dois desvios e o arco zerado para o Brasil quando esteve em campo), também contribuiu em agressividade no arco contrário: cinco chutes a gol e o gol da vitória contra a Suíça na segunda rodada.

Enzo Fernández (Argentina)

Quando esteve em campo, foi o jogador com maior participação no jogo entre Argentina e México: 35 toques de bola, incluindo o gol que sentenciou a partida. Contra a Polônia foi titular pela primeira vez e deu a assistência para o gol vde Julián Álvarez, que definiu o jogo.

Giorgian De Arrascaeta (Uruguai)

Com apenas 108 minutos em campo ao longo da primeira fase, o jogador do Flamengo marcou os dois gols do Uruguai (com apenas três disparos) na Copa do Mundo (ambos contra Gana). Também prestou três assistências para os tiros de seus colegas de equipe.

Atacantes

Lionel Messi (Argentina)

Marcou dois gols nas três partidas, incluindo o gol que abriu o placar contra o México, uma partida na qual também entregou uma assistência. Além disso, foi o jogador de toda a fase de grupos com mais chutes a gol (8), o segundo com mais disparos totais (13) e o terceiro com mais assistência para os companheiros de equipe (9).

Enner Valencia (Equador)

Fez três dos quatro gols do Equador no Catar 2022, fazendo dele o artilheiro da Tri em Copas do Mundo com seis gols no total. Contribuiu com nove tiros e três assistências para os tiros de seus colegas de equipe.

Richarlison (Brasil)

Autor dos dois gols da vitória contra a Sérvia na primeira jornada. Acumulou cinco chutes a gol e 0,99 gols esperados nas duas partidas que participou. Além disso, ganhou seis dos nove duelos protagonizados.

OPTA

Ultimas Noticias