NOTÍCIAS DESTACADA

Substituição de árbitro VAR para o jogo Unión x Nacional
Substituição de árbitro VAR para o jogo Unión x Nacional
Escalação de árbitros para as revanches das Oitavas de Final – CONMEBOL Sudamericana
Escalação de árbitros para as revanches das Oitavas de Final – CONMEBOL Sudamericana
Árbitros para os jogos de volta das Oitavas de Final – CONMEBOL Libertadores
Árbitros para os jogos de volta das Oitavas de Final – CONMEBOL Libertadores

Abreu, o ‘loco’ que imortalizou o estilo “Panenka”

Homem recorde, artilheiro e definidor excêntrico, Sebastián Washington Abreu, é bastante conhecido pelo seu estilo. O atacante que brilhou na equipe uruguaia é mundialmente ponderado pela classe que possui na hora das definições dos doze passos.

A torcida uruguaia lembra com saudades do pênalti convertido por Abreu nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010, ante Gana, para que a Celeste alcançasse as semifinais.

Óscar Tabárez, o DT da Seleção ‘charrúa’ decidiu que fosse o terceiro lançador, mas ele pediu pelo quinto pênalti. Neste momento o ‘Loco’ já tinha programado o lance. Realizou de forma épica, ao estilo “Panenka”, jogador da Tchecoslováquia que conseguiu fama graças a sua hábil e surpreendente forma de marcar a partir do ponto determinado. 

“Deve-se ter claro que o objetivo é fazer gol, que a bola entre e, para isso, o arqueiro deve ser confundido. Não é uma loucura, é inteligência”, explica o próprio Abreu.

Uruguai venceu por 4-2 nos pênaltis contra Gana, depois de um vibrante encontro onde Abreu finalizou com uma brilhante definição, um homem que foi tocado pela vara mágica.

“Há jogadores para ganhar os torneios e outros para os momentos decisivos”, argumenta o atacante, atualmente com 41 anos e flamante contratação do Puerto Mont do Chile, camisa número 25 e com longa trajetória.

Apesar de ser um pênalti glorioso para a Celeste, no longo da caminhada do jogador, houveram outras definições com o mesmo estilo, sendo ratificado o seu talento em 2011, quando defendeu as cores do Botafogo.

Menos de 3 minutos

No torneio carioca de 2011, o atacante uruguaio Sebastián, o ‘Loco’ Abreu, animou-se a picar a bola duas vezes, em dois pênaltis diferentes, em um lapso inferior de três minutos. Algo incrível e único.

“Tenho claro que prefiro contar 100 vezes que falhei em vez de dizer “o que passaria se…”, declara o ‘Loco’.

Aos 53 minutos do jogo entre Fluminense e Botafogo, o duelo marcava 2-1 a favor do ‘Flu’, foi então quando o árbitro decretou pênalti para o ‘Bogão’. O responsável pela cobrança foi Abreu, capitão da equipe naquela época. O uruguaio segura a bola e com um trote curto executa o lance, mas o goleiro ‘Flu’ sabia das suas intenções e conteve facilmente o tiro fraco.

A cólera invade a tranquilidade de Abreu, mas o destino daria uma revanche apenas 3 minutos mais tarde; quando Bruno é derrubado na área e novamente é pênalti para Botafogo, mais uma chance para o atacante ‘charrúa’.

Em frente novamente estaria Diego Cavalieri, arqueiro do ‘Flu’. O olhar fixo do uruguaio em direção ao goleiro brasileiro. Realiza o mesmo caminho que o pênalti anterior e volta a repetir, mais uma vez ao estilo “Panenka”, mas desta vez a bola beija a rede e o goleiro é enganado, pensando que o uruguaio não ousaria repetir seu chute de marca registrada.

O gol foi anedótico, além de servir para a vitória do ‘Bogão’ de 3-2 sobre o Fluminense. E Abreu, mais uma vez provou que é capaz, sem medo. Um jogador diferente dos outros.

Homem recorde

Aos 41 anos, o ‘Loco’ alcançou neste fim de semana Lutz Pfannenstiel, como os jogadores que mais camisas vestiram de diferentes clubes, totalizando 25. O uruguaio foi contratado pelo Puerto Montt da segunda divisão do futebol chileno.

Agora, ninguém terá dúvidas de que Abreu desfaça este recorde, como o jogador com mais clubes em seu legado.   

 

 

 

CONMEBOL.com

Ultimas Noticias