NOTÍCIAS DESTACADA

Designação de árbitros para os encontros de ida – Oitavas de Final da CONMEBOL Sudamericana
Designação de árbitros para os encontros de ida – Oitavas de Final da CONMEBOL Sudamericana
Árbitros para as Oitavas da CONMEBOL Libertadores
Árbitros para as Oitavas da CONMEBOL Libertadores
Córdoba será uma festa com a final da CONMEBOL Sudamericana 2022
Córdoba será uma festa com a final da CONMEBOL Sudamericana 2022

Andrea Pirlo e sua obsessão pelo chute de Juninho Pernambucano

Pela magistral classe nos seus remates de tiro livre, a perna direita de Andrea Pirlo é uma das mais prodigiosas do futebol. Italiano de nascimento, o jogador europeu confessou que sua qualidade tem um secredo e bem sul-americano. “Sou italiano, porém também tenho uma parte brasileira. ‘Pirlinho’, se desejar”, começa contando em un fragmento de sua autobiografia.

No ocaso de sua carreira futebolista, Pirlo revelou alguns detalhes de sua exitosa passagem no apaixonante mundo esportivo, no seu livro autobiográfico, “Penso, logo jogo”. O que mais chamou a atenção foi a obsessão pelo remate de um jogador de nacionalidade brasileira.

“Quando lanço as faltas, penso em português e, na maioria das ocasiões, celebro na minha lingua materna. Cada um desses disparos leva meu nome e todos são meus filhos. Parecem todos entre eles sem ser gêmeos, inclusive podem presumir de ter as mesmas raízes sul-americanas”, escreve Pirlo, conotando uma admiração ao chute de um jogador brasileiro, que o nomeou no seguinte parágrafo.

“Para ser mais preciso, eles (seus remates) compartilham uma mesma fonte de inspiração: Antonio Augusto Ribeiro Reis Junior, jogador que passou à história como Juninho Pernambucano”.

O brasileiro Pernambucano é destacado pelos seus tiros livres, considerado no âmbito esportivo como o maior especialista em lançamento de falta de todos os tempos, de uma refinada e ao mesmo tempo demolidora pegada, que foi até uma obsessão para Pirlo: “A busca do secredo de Juninho virou uma obsessão para mim, até o ponto que ocupava todo meu pensamento”, diz o italiano.

Durante sua etapa no OL – Olympique Lyonnais, o brasileiro “fez coisas extraordinárias com a bola. Deixava ela sobre o gramado, girava seu corpo, apontava e marcava. Nunca falhava”.

“A fórmula mágica era cmo chutar a bola, não onde. Juninho só acertava com três dedos, não com o pé inteiro, como dá para pensar. Não precisava de chuteiras adequadas para demonstrar o que já estava convencido de que era a teoria correta. Coloquei cinco bolas em fila e a história foi repetida uma e outra vez. Então já foi oficial: tinha o truque. Já não havia segredo para mim”, diz em outra parte o italiano.

Andrea Pirlo tem uma vasta experiência como jogador que maneja os tempos com dotes nos passes e remates de falta, que aperfeiçoou e redescubriu vendo o Pernambucano, como ele mesmo conta.

Aos seus 38 anos, Pirlo foi campeão do mundo no ano 2006 com a seleção ‘azzurra’ e jogador do recorrido extraordinário pelos melhores clubes italianos (Juventus Inter e Milão), atualmente encuentra-se ativo, jogando na MLS.

Pernambucano, pela sua parte, foi um dos melhores rematadores de falta da história do futebol (marcou 75 tiros livres durante toda sua carreira). Sua característica principal se baseia nos lançamentos secos e fortes, desde longa distância e curvados desde distâncias próximas.

Atualmente é comentarista esportivo para a rede O Globo.

 

CONMEBOL.com

Ultimas Noticias