NOTÍCIAS DESTACADA

Escalação de árbitros para as revanches das Oitavas de Final – CONMEBOL Sudamericana
Escalação de árbitros para as revanches das Oitavas de Final – CONMEBOL Sudamericana
Brasil e Argentina campeões mundiais no mesmo dia
Brasil e Argentina campeões mundiais no mesmo dia
VAR CONMEBOL: análise de situação de jogo da Sudamericana – Colo Colo x Internacional
VAR CONMEBOL: análise de situação de jogo da Sudamericana – Colo Colo x Internacional

Brasileiros encaram visitantes perigosos pelas Quartas de Final

Três equipes brasileiras disputarão nesta quarta-feira em casa o seu passe às quartos de final da CONMEBOL Libertadores Bridgestone, com o poderoso Palmeiras tratando de se recuperar do 1-0 no duelo de ida contra o Barcelona equatoriano e o Atlético Mineiro na mesma situação ante Jorge Wilstermann. 

Porém a tarde começa com o Grêmio defendendo sua vantagem (1-0) ante o argentino Godoy Cruz.  

– Grêmio x Godoy Cruz –

Bem mais tranquilo que seus compatriotas, o encarregado de abrir a tarde da CONMEBOL Libertadores Bridgestone no Brasil será o Grêmio, que receberá o argentino Godoy Cruz com tudo a favor.

Segundo na Liga, onde neste domingo venceu com facilidade o Atlético Mineiro, classificado para as semifinais da Copa do Brasil e com as quartas da Libertadores ao alcande mediante o 1-0 que trouxe da Argentina, o futebol sorri para o ‘tricolor’ gaúcho, cuja única frustração até o momento é ver como o imbatível Corinthians segue oito pontos à frente no topo do torneio.

Estádio: Arena do Grêmio (Porto Alegre, sul do Brasil). Hora: 19H15 local (22H15 GMT). Árbitro: Enrique Cáceres. Assistentes: Eduardo Cardozo e Juan Zorrilla (trio paraguaio). Rival em quartas: Vencedor da chave entre Nacional do Uruguai e Botafogo.

Possíveis formações: 

Grêmio: Marcelo Grohe – Léo Moura, Geromel, Kannemann, Cortez – Michel, Arthur, Ramiro, Luan, Pedro Rocha e Barrios. DT: Renato Gaúcho.

Godoy Cruz: Leonardo Burián – Luciano Abecasis, Leonel Galeano, Sebastián Olivarez, Fabrizio Angileri – Ángel González, Fabián Henríquez, Gastón Giménez, Juan Fernando Garro – Javier Correa e Santiago García. DT: Mauricio Larriera.

DADOS:

Grêmio – Godoy Cruz    

A vitória do Grêmio (1-0) com o gol de Ramiro nos primeiros 44 segundos no duelo de ida é o único enfrentamento internacional oficial

Grêmio local

Ganhou os três encontros que disputou na atual edição da Copa Libertadores: Deportes Iquique 3-2, Guarani 4-1 e Zamora 4-0

Em torneios Conmebol perdeu apenas dois dos últimos 15: Huachipato 2-1 (Hernán Barcos – Federico Falcone, Braian Rodríguez – Copa Libertadores 2013) e Rosario Central 1-0 (Marco Ruben – Copa Libertadores 2016)

Recebeu equipes argentinas em 26 ocasiões por torneios Conmebol (13 – 8 – 5)

Além do mencionado jogo com Rosario Central, sua outras derrotas foram: Independiente 1-0 (Jorge Burruchaga – Libertadores 1984), Estudiantes 1-0 (Mario Cariaga – Supercopa 1989), River Plate 3-2 (Guilherme, Rodrigo – Juan Antonio Pizzi 2, Santiago Solari – Mercosul 1998) e Boca Juniors 2-0 (Juan Román Riquelme 2 – Libertadores 2007)

Godoy Cruz visitante

Será o seu 10° duelo pela Copa Libertadores (3 – 1 – 5)

Suas vitórias foram: Independiente 3-1 (Facundo Parra – Hernán Fredes em contra, Ariel Rojas, Rubén Ramírez – Libertadores 2011), Libertad 2-1 (Ángel Cardozo Lucena – Ángel González 2 – Libertadores 2017) e Sport Boys 3-1 (Jherson Córdoba – Ángel González, Juan Garro, Gastón Giménez – Libertadores 2017)

Foi derrotado em sua única apresentação oficial no Brasil: Atlético Mineiro 4-1 (Juan Cazares 2, Elías, Fred – Juan Garro) no dia 16 de maio

Árbitro – Enrique Cáceres

Será a sua partida número 30 pela Copa Libertadores

Debutou no campeonato no dia 11 de março de 2011: Jorge Wilstermann 1 – Internacional 4

Por torneios Conmebol nunca dirigiu Godoy Cruz mas arbitrou uma vez o Grêmio: Atlético Nacional 2-0 (Libertadores 2014) e Rosario Central 0-3 (Libertadores 2016)

 

– Atlético Mineiro x Jorge Wilstermann –

Não será uma noite fácil para o Atlético Mineiro. Último campeão brasileiro da CONMEBOL Libertadores Bridgestone, graças aos lances finais de Ronaldinho em 2013, o ‘Galo’ tinha outros planos para este ano, com Fred e Robinho brilhando no seu ataque.

Eliminados recentemente da Copa do Brasil, outra derrota em casa complicaria muito o futuro do seu novo DT Rogério Micale, que depois do tropeço no domingo diante do Grêmio (2-0) pediu o último esforço à uma torcida decepcionada e que ainda duvida se poderá contar com Fred, que se recupera de uma lesão.

A outra cara da moeda está vivendo o time ‘aviador’, que lidera o torneio clausura boliviano e chega em Belo Horizonte conjurado para defender o tesouro arrancado um mês atrás em Cochabamba, e que poderia ser o primeiro passo para ser classificado para sua primeira quartas de final em 36 anos. 

Estádio Mineirão: Belo Horizonte (sudeste do Brasil). Hora: 21H45 local (00H45 GMT). Árbitro: José Argote. Assistentes: Carlos López e Luis Murillo (trio venezuelano). Rival em quartas: Vencedor da chave entre Guarani e River Plate.

Possíveis formações:

Atlético Mineiro: Víctor – Marcos Rocha, Gleison Bremer, Gabriel Costa, Fabio Santos – Adilson, Yago, Elías, Juan Cazares – Robinho e Luan. DT: Rogerio Micale.

Jorge Wilstermann: Raúl Olivares – Omar Morales, Álex Da Silva, Edward Zenteno, Juan Pablo Aponte – Cristhian Machado, Marcelo Bergese, Fernando Saucedo, Serginho – Rudy Cardozo e Gilbert Álvarez. DT: Roberto Mosquera.

DADOS:

Atlético Mineiro – Jorge Wilstermann

Três enfrentamentos internacionais oficiais. Duas vitórias do Atlético Mineiro na Copa Conmebol 1998: 3-1 como local e 1-0 de visitante, e o triunfo de Jorge Wilstermann 1-0 (Gilbert Álvarez) na partida de ida no dia 5 de julho

Atlético Mineiro local

Ótimo desempenho em torneios Conmebol, onde perdeu apenas 7 dos 73 jogos que disputou, com 45 vitórias e 21 empates.

Acumula 8 triunfos consecutivos e dos 25 mais recentes foi derrotado apenas uma vez: Atlas 1-0 (Christian Suárez) na Copa Libertadores 2015

Ganhou as quatro vezes que recebeu as equipes da Bolívia em torneios Conmebol. Além do mencionado ante Jorge Wilstermann, os outros foram: Bolívar 1-0 (Ramón – Libertadores 2000), The Strongest 2-1 (Jó, Ronaldinho – Melgar – Libertadores 2013) e Sport Boys 5-2 (Fred 4, Robinho – Tenorio, Messidoro – Libertadores 2017)

Jorge Wilstermann visitante

Apenas registra 2 triunfos em 57 participações por torneios Conmebol.

Foram eles: Técnico Universitario 2-1 (Fabián Burbano – Odelio Olmedo, Gastón Taborga – Libertadores 1981) e Universitario 2-1 (Juan Cabanillas – Julio Zárate, Juan Carlos Sánchez – Libertadores 1986)

Foi derrotado nas oito oportunidades que jogou no Brasil de forma oficial. Marcou 4 gols e recebeu 28

Árbitro – José Argote

Possui 15 partidas na Copa Libertadores

Quatro delas são da recente edição 2017

Oficialmente não dirigiu o Jorge Wilstermann e em uma ocasião arbitrou o Atlético Mineiro: Sport Boys 5-2 no dia 13 de abril

 

– Palmeiras x Barcelona –

Ninguém pensava chegar em agosto com tanta rapidez, mas a temporada pode agonizar antes do tempo para os gigantes brasileiros do Palmeiras e Atlético Mineiro, obrigados a uma recuperação nesta quarta-feira ante seus duelos das Oitavas da Libertadores, enquanto que o Grêmio trata de estender sua lua de mel. 

A batalha promete ser dura. Para isso, a equipe do uruguaio Guillermo Almada, que desembarcou no domingo em São Paulo, enfoca-se nas boas lembranças do 2 de maio, quando venceram o Botafogo na volta da fase de grupos. 

“Será uma partida difícil, um erro pode ser decisivo. Mas já disputamos no Brasil e tiramos vantagem”, afirmou o volante Richard Calderón no Jornal El Universo. 

Estádio: Allianz Parque (São Paulo, sudeste do Brasil). Hora: 21H45 local (00H45 GMT). Árbitro: Néstor Pitana. Assistentes: Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti (trio argentino). Rival em quartas: Vencedor da eliminatória entre Santos e Atlético Paranaense.

DADOS:

Palmeiras – Barcelona

A única partida oficial internacional foi a ida disputada no dia 5 de julho com vitória do Barcelona 1-0 (Jonathan Alvez)

Palmeiras local

Por torneios Conmebol registra quatro vitórias consecutivas. A série iniciou após perder com o Clube Nacional de Futebol 2-1 (Gabriel Jesús – Nicolás López, Leandro Barcia) no dia 9 de março de 2016.

Ganhou as quatro vezes que recebeu equipes equatorianas de forma oficial: Emelec 2-1 (Edmundo 2 – Hurtado / Libertadores 1995), El Nacional 7-0 (Edmundo 2, Rivaldo 2, Valber 2, Paulo Isidoro – Libertadores 1995), El Nacional 4-1 (Pena 2, Argel, Alex – Diego Herrera / Libertadores 2000) e Liga de Quito 2-0 (Marcao – Diego Souza – Libertadores 2009)

Barcelona visitante

Perdeu apenas umas das últimas 5 que disputou em torneios Conmebol

Foi ante Atlético Nacional 3-1 (Dayro Moreno 2, Xavier Arreaga – José Ayoví) no dia 25 de maio

Apresentou-se em 8 oportunidades no Brasil de forma oficial (2 – 2 – 4)

Seus triunfos foram: Bangú 2-1 (Marinho – Severino Vasconcelos 2 / Libertadores 1986) e Botafogo 2-0 (José Ayoví, Jonathan Alvez – Libertadores 2017)

Árbitro – Néstor Pitana

Acumula 28 encontros na Copa Libertadores

Cinco da atual edição 2017

Por torneios Conmebol nunca dirigiu o Palmeiras e uma vez arbitrou o Barcelona: Deportivo Táchira 5-1 (Copa Sul-Americana 2012)

 

 

 

AFP

Dados: Eduardo Bolaños

Ultimas Noticias