NOTÍCIAS DESTACADA

CONMEBOL, em conjunto com as Associações Membro, concede prêmios para aumentar a competitividade nos torneios locais
CONMEBOL, em conjunto com as Associações Membro, concede prêmios para aumentar a competitividade nos torneios locais
Começou a venda geral de ingressos para a CONMEBOL Copa América Feminina Colômbia 2022
Começou a venda geral de ingressos para a CONMEBOL Copa América Feminina Colômbia 2022
Designação de árbitros para os encontros de ida – Oitavas de Final da CONMEBOL Sudamericana
Designação de árbitros para os encontros de ida – Oitavas de Final da CONMEBOL Sudamericana

Bravo, herói dos doze passos

Os 12 passos são o ponto de domínio do capitão chileno, Claudio Bravo, mais uma vez herói na noite desta quarta-feira em Kazan para dar o passe à final da Copa das Confederações para a Roja ante Portugal, lembrando aquelas duas finais de Copa América frente a Argentina, onde alcançou a glória continental.

Estandarte da Geração Dourada Chilena, Claudio Bravo Muñoz, colocou novamente as luvas de ferro para fechar seu arco ante os portugueses, que não puderam anotar durante todo o jogo.

Nada mais que o arranque, o conjunto europeu tomou a lança e atacou com Cristiano Ronaldo à frente, que cedeu um certeiro passe para André Silva, seu colega na dianteira; contudo, as mãos de Bravo apareceram no momento justo e calaram o grito do primeiro gol.

Ante a nula chegada dos lusos, Bravo esteve atento, um verdadeiro muro, contatando com os meias com passes nos pés, uma de suas características nas saídas do fundo da área.

Uma vez mais pênaltis…

Trás superar uma lesão que teve antes de que inicie a competição, Bravo apareceu no partida da Fase de Grupos ante Austrália, para aportar seu espírito de líder e segurança na zona baixa, que o ratificou nesta quarta contra o campeão da Eurocopa.

E outra vez desde os 12 passos a experiência do capitão falou mais alto, recordando noites douradas onde conquistou América ante Lionel Messi, por citar um exemplo.

Ao finalizar o cotejo, o técnico da Roja, Juan Antonio Pizzi, indicou que seu capitão se preparou para tamanha responsabilidade e estudiu os rematadores rivais.

 

Cuaresma apostou no lado direito, mas o goleiro de Manchester City intuiu tapou a bola de maneira magistral, para manter a vantagem chilena, logo do gol concretado por Arturo Vidal (1-0).

Com dois zeros, trás um bom remate de Charles Aránguiz, Bravo pegou o pênali de Joa Moutinho, e conservava a vantagem da Roja.

Sánchez não falhou a execução perfeita para o terceiro. Toda a obrigação no experiente Nani, que mudou de lado, mas novamente a astúcia e reflexo de Bravo se impôs para dar o passe histórico à final do Chile.

La Roja se topa novamente ante a possibilidade de campeonar, desta vez de maneira ecumênica, na antessala do Mundial da Rússia 2018. Seu rival sairá do encontro desta quinta entre México e Alemanha.

 

 

CONMEBOL.com

Ultimas Noticias