NOTÍCIAS DESTACADA

Times históricos entram na briga pela classificação na CONMEBOL Sudamericana
Times históricos entram na briga pela classificação na CONMEBOL Sudamericana
Semana decisiva nas Oitavas de Final
Semana decisiva nas Oitavas de Final
CONMEBOL Copa América Feminina 2022: confira as estatísticas antes do início do torneio
CONMEBOL Copa América Feminina 2022: confira as estatísticas antes do início do torneio

Chile: 5 perguntas e 5 respostas para uma final

A página oficial da FIFA separa hoje em 5 preguntas e 5 respostas a vitória da ‘Roja’ ante Portugal para ser finalista da Rússia 2017.

– 1. Chile evoluiu com respeito o seu jogo prévio?

– Sim. Recuperou seu funcionamento coletivo e o manejo fino da bola, o que permitiu controlar os tempos de jogo, além de adoçar suas energias. Assim, terminou cansado, porém inteiro, procurando o jogo melhor que seu rival. O técnico não precisou fazer suas quatro trocas.

– Juan Pizzi: “Acho que fizemos méritos para ganhar. Tivemos mais e melhores chances, sobre tudo na prorrogação… Era difícil fazer trocas, porque podíamos desestabilizar o bom jogo que estávamos fazendo. Somos justos finalistas”.

– 2. Cumpriu com seus objetivos defensivos?

– Sim. Branqueou um atacante cheio de gol e um jogador em graça como Cristiano! Além de cortar os caminhos até ele, o obrigaram a receber longe e incômodo. Os relevos forram fundamentais: Chile retrocedeu quase sempre bem e deu poucas opções para Portugal.

– Jean Beausejour: “Conseguimos por ser consequentes com a ideia de sempre, que é ser protagonistas e ter a bola, atacando quando é conveniente com os cuidados necessários”.

– 3. Cumpriu com seus objetivos ofensivos?

– Não. Voltou a falhar em traduzir seus melhores momentos em gols. O rival joga e tem goleiro, porém é inevitável que a equipe marcou só 2 nos últimos 300 minutos. Ainda assim, sua vocação ofensiva serviu para jogar longe do gol e, com tempos, descansar com a bola.

– Pizzi: “Vou me preocupar mais no dia que não gerarmos as oportunidades… Nos pênaltis, por sorte, tivemos certeza e muita contundência”.

– 4. As estrelas deram a cara?

– Sim. Claudio Bravo brilhou nos pênaltis, porém foi também fundamental no jogo. Arturo Vidal, como faz para estar em tantos lugares ao mesmo tempo? Alexis Sánchez, porém deu um passe a gol e acertou nos pênaltis. Menção aparte para um dos heróis do silêncio: Charles Aránguiz fez tudo muito bem.

– Bravo: “Os pênaltis não são uma roleta, é trabalho, muita informação e inteligência além das condições que cada um possa ter. Eu sabia qual era o meu trabalho… Porém todos fizemos um trabalho perfeito para vencer o campeão da Europa, que não é pouca coisa”.

 

– 5. Deixou atrás a síndrome de ‘Pinilla’ como prova de sua mentalidade?

– Sim. No Mundial de 2014, também no dia 28 de junho, porém ante Brasil nas oitavas, Mauricio Pinilla rematou na trave aos 119′ e logo Chile perdeu nos pênaltis. Aqui, trás a dupla chave Vidal e Martín Rodríguez aos 118′, não faltou quem lembrasse daquela jogada e seu impacto na fase posterior. Como prova da mentalidade deste grupo, desta vez o final foi diferente.

– Vidal: “Esta seleção, como sempre demonstrou tudo, em momentos difíceis pega o melhor que tem: a união, o compromisso e o coração de chileno”.

 

 

 

 

FIFA.com

Ultimas Noticias