NOTICIA DESTACADA

Faltam 100 dias para o desafio da Copa do Mundo 2022 no Catar
Faltam 100 dias para o desafio da Copa do Mundo 2022 no Catar
Confira os grupos da CONMEBOL Sub-20 de Futsal Feminino
Confira os grupos da CONMEBOL Sub-20 de Futsal Feminino
Fixture das Semifinais da CONMEBOL Libertadores e da CONMEBOL Sudamericana 2022
Fixture das Semifinais da CONMEBOL Libertadores e da CONMEBOL Sudamericana 2022

Com a magia de Zico, Flamengo conquista a Libertadores

Um grande Brasil pagou sua dívida. Até aquele 1981, Flamengo nunca tinha podido jogar na Copa Libertadores. E nessa edição não só se deu o gostinho de estrear como também de ficar com o troféu, sendo indiscutivelmente, o melhor time do certame.

Um grande Brasil pagou sua dívida. Até aquele 1981, Flamengo nunca tinha podido jogar na Copa Libertadores. E nessa edição não só se deu o gostinho de estrear como também de ficar com o troféu, sendo indiscutivelmente, o melhor time do certame. O título foi ganho numa segunda-feira, 23 de novembro de 1981, no estádio Centenário de Montevidéu ao vencer, no cotejo desempate, o Cobreloa por 2-0 com duas conquistas do seu maior craque: Zico.

Começou sua atuação no Grupo 3, que se apresentava muito parelho, já que compartilhava com o Atlético Mineiro, Olímpia e Cerro Porteño. Flamengo viajou ao Paraguai para os dois últimos cotejos da zona, onde deveria conseguir pelo menos três pontos para igualar a outro elenco brasileiro. Derrotou o Cerro Porteño por 4-2 e, ao empatar 0-0 com o Olímpia, disputou uma partida desempate com o Atlético Mineiro para saber quem iria avançar às semifinais.

O jogo foi em Goiânia e bastante acidentado, a ponto de ter sido suspenso aos 37 minutos, já que o Atlético ficou com apenas 6 futebolistas em campo, pelas expulsões de Osmar, Chicão, Palinha, Reinaldo e Eder. Como é regulamentar, o encontro resultou no Flamengo como vencedor.

No grupo semifinal foi amplamente superior aos seus dois rivais. Ganhou os oito pontos no jogo, ao superar tanto de local como de visitante o Deportivo Cali e Jorge Wilstermann. As figuras de Zico, Nunes e Júnior já se vislumbravam como as melhores da competição.

Na final se encontrou com um surpreendente mas excelente adversário: Cobreloa. O primeiro dos cotejos decisivos foi disputado no Maracanã e a vitória foi do Flamengo por 2-0 com gols de Zico. A revanche não foi em Calama, cidade de onde é oriundo o time chileno, mas no estádio Nacional de Santiago. A 11 minutos do final, Víctor Merello, seu goleador, marcou o tanto da vitória que levou a definição para a terceira partida.

Muitos torcedores do Brasil acompanharam o Flamengo até Montevidéu, buscando ser a terceira equipe brasileira da história em ganar a Copa Libertadores, atrás do Santos e do Cruzeiro. Mal jogaram 18 minutos quando, após uma série de rebotes dentro da área do Cobreloa, a bola caiu nos pés de Zico no ponto penal e, com um violento remate cruzado de direita, abriu o score. O time chileno tentou, mas nada podia fazer ante a sólida defesa integrada pelo lendário Raul no arco, Leandro e Junior nas laterais, mais Mozer e Marinho como meias. Aos 78 chegou o tanto definitivo quando Zico, com sua habitual maestria, colocou com precisão um tiro livre, longe do alcance de Wirth.

Flamengo campeão. Com justiça, com futebol, com talento e com um Zico irrepetível que, também, foi o goleador do torneio.

Formações da última partida

Flamengo: Raúl; Leandro, Marinho, Mozer, Junior; Nei Dias, Andrade (Anselmo), Zico; Tita, Nunes, Adilio. DT: Paulo César Carpegiani.

Cobreloa: Wirth; Tabilo, Páez (Muñoz), Soto, Escobar; Merello, Jiménez, Alarcón; Puebla, Siviero, Olivera. DT: Vicente Cantatore.

 

Eduardo Bolaños – CONMEBOL.com

 

 

Últimas Noticias