NOTICIA DESTACADA

Cascavel conquista seu primeiro título na CONMEBOL Libertadores Futsal 2022
Cascavel conquista seu primeiro título na CONMEBOL Libertadores Futsal 2022
Independiente del Valle sagra-se bicampeão da CONMEBOL Sudamericana
Independiente del Valle sagra-se bicampeão da CONMEBOL Sudamericana
A 50 dias do Mundial: Equador quer fazer história
A 50 dias do Mundial: Equador quer fazer história

Copa Bridgestone Libertadores: três jogos nesta quinta-feira (3)

Três partidas eletrizantes estão marcadas para esta quinta-feira no marco da Copa Bridgestone Libertadores. Buenos Aires, São Paulo e La Paz serçao alas sedes.

Boca estreia DT Barros Schelotto frente ao Racing

Boca Juniors estreará Guillermo Barros Schelotto, ídolo auriazul histórico, como treinador no encontro desta quinta-feira contra o Racing, num duelo argentino, pela segunda jornada do Grupo 3 da Copa Libertadores da América.

Barros Schelotto, que se tornou uma figura histórica desta entidade depois de vários anos como atacante quando formou um par letal com Martin Palermo, teve sua primeira experiência como treinador no Lanus, conduzindo-o à obtenção da Copa Sul-Americana -2013. Recentemente teve uma passagem fugaz pelo Palermo italiano.

No lado do Boca, a grande ausência será a do atacante Daniel Osvaldo, que sofreu uma fratura em um dedo do pé esquerdo.

Além disso, a 'Academia' terá uma baixa no ataque, como Gustavo Bou, artilheiro da Libertadores em 2015, que foi descartado por dores na coxa direita.

A partida será disputada a partir das 19H30 locais (22H30 GMT) e será arbitrada pelo brasileiro Sandro Ricci, assistido em bandas Emerson Carvalho e Rodrigo Correa.

Estas são as possíveis formações:

Boca: Agustín Orion – Leonardo Jara, Daniel Díaz, Juan Manuel Insaurralde, Jonathan Silva – Fernando Gago, Adrián Cubas, Pablo Pérez – Nicolás Lodeiro – Sebastián Palacios e Andrés Chávez. DT: Guillermo Barros Schelotto.

Racing: Sebastián Saja – Iván Pillud, Nicolás Sánchez, Luciano Lollo, Leandro Grimi – Walter Acuña, Federico Vismara, Luciano Aued, Washington Camacho – Roger Martínez e Lisandro López. DT: Facundo Sava.

Estatísticas:

Boca Juniors – Racing Club

Sete enfrentamentos internacionais oficiais. Racing Club ganhou: 3 vitórias do Boca Juniors e 4 empates

Boca Juniors 0 – Racing Club 0 (Libertadores 1989 – Neutral en River Plate)   

Racing Club 2 – Boca Juniors 3 (Libertadores 1989 – Neutral en River Plate)        

Boca Juniors 3 – Racing Club 2 (Libertadores 1989 – Desempate en cancha de Vélez)     

Boca Juniors 0 Racing Club 0 (Supercopa 1989)

Racing Club 1 – Boca Juniors 2 (Supercopa 1989)

Boca  Juniors 1 – Racing Club 1 (Supercopa 1996)

Racing Club 0 – Boca Juniors 0 (Supercopa 1996)

Boca Juniors

Registra 124 partidos como local na Copa Libertadores com marca positiva (85 – 27 – 12)

Por torneios Conmebol recebeu outras equipes argentinas em 40 ocasiões (17 – 17 – 6). Marcou 50 gols e recebeu 32

Pela segunda vez em sua história será local na Copa Libertadores. A anterior foi em 2004 quando venceu Colo Colo 2-0.

Racing Club

Nivelado histórico como visitante em Copa Libertadores (10 – 10 – 12)

Nessa condição leva quatro sem ganhar (duas derrotas e dois empates). A última vitória foi ante Sporting Cristal 2-0 em 17 de março de 2015.

Visitou outros times argentinos pela Conmebol em 18 ocasiões e só pôde ganhar uma vez: Argentinos Juniors 1-0, em 28 de agosto de 1996 pela Supercopa. Os restantes foram 10 empates e 7 derrotas.

Árbitro – Sandro Ricci

Será seu jogo número 30 em torneios Conmebol por equipes. Debutou em 10 de agosto de 2011, pela Copa Sul-Americana: Ceará 2 – São Paulo 1.

Dirigiu o Boca Juniors duas vezes: Deportivo Capiatá 0-1 (Sudamericana 2014) e Wanderers 3-0 (Libertadores 2015) e uma vez arbitrou com o Racing Club: Guaraní 0-1 (Libertadores 2015)

 

Palmeiras x Rosario Central, duelo em branco e preto pelo Grupo 2

Em busca de sua primeira vitória do ano em seu novo estádio, o Palmeiras receber esta quinta-feira em Rosario Central.

O jogo terá início às 21h45 local (00h45 GMT) em São Paulo, onde já foram vendidos quase todos os ingressos, e será arbitrado pelo juiz paraguaio Enrique Caceres, assistido nas linhas por seus compatriotas Carlos Caceres e Milcíades Saldivar .

– Equipes prováveis:

Palmeiras: Fernando Prass – Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo, Zé Roberto – Thiago Santos, Jean, Robinho – Dudu, Gabriel Jesus y Barrios. DT: Marcelo Oliveira.

Rosario Central: Sebastián Sosa – Cristian Ferrari, Alejandro Donatti, Javier Pinola, Pablo Álvarez – Walter Montoya, Gastón Gil Romero, Jonás Aguirre – Franco Cervi – César Delgado y Germán Herrera. DT: Eduardo Coudet.

 

Estatísticas:

Palmeiras – Rosario Central

Dois enfrentamentos internacionais oficiais. Ambos pela fase de grupos da Copa Libertadores 2006

O primeiro cotejo se disputou em São Paulo em 15 de março e finalizou igualado sem gols, enquanto o segundo foi 8 dias mais tarde em Rosario, com empate 2-2.

Palmeiras

Se ganhar, será a vitória número 50 como local por Copa Libertadores, sobre 74 encontros disputados.

Dos últimos 10 nessa condição só perdeu dois: Colo Colo 3-1 (2009) e Tijuana 2-1 (2013)

Apenas caiu uma vez recebendo times argentinos pela Conmebol: Argentinos Juniors 1-0 pelas quartas de final da Copa Sul-Americana 2008. O resto resultou em 12 triunfos e 4 empates.

Rosario Central

Registra 37 partidas como visitante pela Copa Libertadores (11 – 8 – 18), onde converteu 49 gols e recebeu 59.

Só venceu um dos 11 cotejos que jogou no Brasil por certames Conmebol: Atlético Mineiro 1-0, em 23 de setembro de 1998, pela Copa Conmebol.

Árbitro – Enrique Cáceres

Tem 17 encontros em Copa Libertadores

Na presente edição teve um cotejo: Caracas 2 – Huracán 1

Nunca dirigiu de forma oficial o Palmeiras nem Rosario Central

 

Bolívar recebe Deportivo Cali

Bolívar da Bolívia recebe nesta quinta-feira em La Paz o colombiano Deportivo Cali pela Libertadores da América.

A partida está marcada para 20h45 local (00h45 GMT sexta-feira), no estádio Hernando Siles em La Paz e será dirigido pelo equatoriano Carlos Orbe, acompanhado por seus compatriotas, como linhas, Byron Romero e Luis Vera.

Prováveis equipes:

Bolívar: Rómel Quiñónez – Ronald Eguino, Nelson Cabrera, Oscar Padula Castro – Erwin Saavedra, Wálter Flores, Danny Bejarano, José Luis Sánchez Capdevila, Juan Miguel Callejón – Juan Carlos Arce e Iván Borghello. DT: Rubén Insua.

Deportivo Cali: Ernesto Hernández – Helibelton Palacios, John Lozano, Germán Mera, Felipe Banguero – Miguel Godoy, Andrés Pérez, Andrés Felipe Roa, Fabián Sambueza – Rafael Santos Borré y Hárold Preciado. DT: Fernando Castro.

Estatísticas:

Bolívar – Deportivo Cali

Quatro enfrentamentos internacionais oficiais, com dois triunfos cada um.

Bolívar 3 – Deportivo Cali 0 (Libertadores 1977)   

Deportivo Cali 3 – Bolívar 0 (Libertadores 1977)    

Deportivo Cali 3 – Bolívar 1 (Libertadores 2004)          

Bolívar 1 – Deportivo Cali 0 (Libertadores 2004)

Bolívar

Ótima marca nos 108 jogos como local na Copa Libertadores (73 – 23 – 12)

Nessa condição leva 10 sem perder, desde 21 de fevereiro de 2012: Unión Española 3-1

Está invicto recebendo equipes colombianas pela Conmebol (8 – 4 – 0). As únicas vezes que não perdeu foram:

Independiente Medellín 1-1 (Libertadores 1967)  

Santa Fe 2-2 (Libertadores 1967)

América de Cali 1-1 (Libertadores 1993)

América de Cali 1-1 (Libertadores 2002)

Deportivo Cali

Leva 73 partidas em Copa Libertadores como visitante com marca negativa (12 – 16 – 45)

Acumula 10 derrotas consecutivas nessa condição. A racha começou trás sua  última vitória: Colo Colo 3-2 (3 de fevereiro de 2004)

Por certames Conmebol se apresentou 7 vezes na Bolívia (2 – 1 – 4). Os triunfos foram ante Oriente Petrolero: 1-0 (Libertadores 1987) e 3-1 (Libertadores 2001)

Árbitro – Carlos Orbe

Registra dois cotejos em torneios Conmebol por equipes

Racing Club 3 – Deportivo Táchira 2 (Libertadores 2015) e Carabobo 0 – Deportes Tolima 0 (Copa Sudamericana 2015)

 

Textos: AFP

Estatísticas: Eduardo Bolaños/conmebol.com

Design:DD/conmebol.com

Últimas Noticias