NOTICIA DESTACADA

Venda de ingressos ao Público Geral para a Final da CONMEBOL Libertadores 2022
Venda de ingressos ao Público Geral para a Final da CONMEBOL Libertadores 2022
Independiente del Valle sagra-se bicampeão da CONMEBOL Sudamericana
Independiente del Valle sagra-se bicampeão da CONMEBOL Sudamericana
A 50 dias do Mundial: Equador quer fazer história
A 50 dias do Mundial: Equador quer fazer história

Gianni Infantino: “Com a CONMEBOL faremos grandes coisas pelo futebol”

Parece ainda emocionado e, ademais, não trata de esconder essa emoção. No encontro com a conmebol.com, casual porém, ao mesmo tempo, cálido pelo dom de gente do mais novo presidente da FIFA, Gianni Infantino fala do momento que toca-lhe vivenciar e reconhece e destaca o apoio recebido por parte da CONMEBOL.

Parece ainda emocionado e, ademais, não trata de esconder essa emoção.

No encontro com a conmebol.com, casual porém, ao mesmo tempo, cálido pelo dom de gente do mais novo presidente da FIFA, Gianni Infantino fala do momento que toca-lhe vivenciar e reconhece e destaca o apoio recebido por parte da CONMEBOL.

Estava tomando o café-da-manhã com sua família no mesmo hotel em que se hospedava a delegação da CONMEBOL e ali o encontramos. Buscando não incomodá-lo esperamos que se levante e ali o abordamos mais que nada para cumprimentá-lo e desejar muito sucesso em sua gestão, mas imediatamente houve um ameno diálogo propiciado pelo próprio presidente Infantino.

“Da CONMEBOL?, oh, encantado, vamos conversar, com muito prazer”, disse.

conmebol.com: Presidente, parece ainda emocionado

Gianni Infantino: E estou, foi tudo muito intenso e ainda sinto essa emoção de ontem

c.c.: Como vivenciou o desenvolvimento da votação?

G.I.: Com muita ansiedade, com muita expectativa mas também com muita confiança, sabíamos que tínhamos o respaldo necessário para ganhar

c.c.: Nesse respaldo que menciona, a CONMEBOL teve um papel importante?

G.I.: Sem dúvida alguma! A CONMEBOL deu apoio desde o princípio e sempre ratificou (volta a bater o peito com o punho), a CONMEBOL tem sido muito importante para mim

c.c.: Presidente, dá a sensação que houve uma muito boa relação entre a dirigência da CONMEBOL e o senhor, que vai muito além de um simples protocolo

G.I.: Foi e é assim, há uma relação muito bonita. Nós temos a certeza que este é um momento muito importante para o futebol e sabemos que contamos com a CONMEBOL para fazer grandes coisas pelo futebol. Tem havido uma comunicação muito boa, muito franca, muito sincera com a dirigência da CONMEBOL

c.c.: Conhece muito bem o futebol sul-americano

G.I.: Sim, conheço e admiro o futebol sul-americano, seus grandes jogadores. A América do Sul tem a paixão e o coração e nós vamos colocar essa mesma paixão e esse mesmo coração nesta tarefa de levar em frente o futebol no mundo todo. E também sabemos das necessidades da América do Sul e vamos trabalhar para dar todo o apoio que seja necessário.

c.c.: É um momento histórico para o futebol mundial?

G.I.: Sim, é uma nova etapa que começamos e todos devemos estar unidos na tarefa de levar o futebol adiante. Todos devemos dar futebol, falar de futebol, gerar futebol, o jogo é a grande paixão e,neste momento é necessário que façamos forte o futebol; sabemos que há muitas dificuldades, sabemos perfeitamente que devemos entre todos trabalhar juntos em todo o mundo. O futebol é forte dentro de campo e nós, os dirigentes, devemos fazer que também volte a a ser forte fora de campo, esse é o grande compromisso.

c.c..Mais além da emoção que continua, como se sente em seu primeiro dia como presidente?

G.I.: Bem, muito bem, com muita vontade de começar a trabalhar o quanto antes, com muitas ideias, muitos projetos, sabendo que vamos fazer muitas coisas boas para o futebol e sabendo que nesta tarefa contamos com o apoio da CONMEBOL

c.c.: Houve um momento muito bonito que esteve longe do meramente protocolar, aquele abraço com o presidente da CONMEBOL, Alejandro Domínguez. O que disseram um ao outro naquele momento?

(A que parecia ser uma simples pergunta para finalizar uma breve entrevista passou a ser um novo disparador de emoções. Gianni Infantino repetiu, exatamente, o gesto da noite anterior: bateu o peito, lançou um suspiro que veio do mais profundo, olhou para o lado, como para evitar que “caísse alguma lágrima”, como diriam na Argentina) e respondeu: “Somente nos abraçamos e quase não pudemos falar. Alejandro me disse: “Felicidades, êxitos” e eu lhe disse :”Muito obrigado pelo apoio”).

 

Robert Singer/conmebol.com

Fotos. Miguel Ortiz Granada/conmebol.com

Zurique/27/02/16

Últimas Noticias