NOTÍCIAS DESTACADA

Times históricos entram na briga pela classificação na CONMEBOL Sudamericana
Times históricos entram na briga pela classificação na CONMEBOL Sudamericana
Semana decisiva nas Oitavas de Final
Semana decisiva nas Oitavas de Final
CONMEBOL Copa América Feminina 2022: confira as estatísticas antes do início do torneio
CONMEBOL Copa América Feminina 2022: confira as estatísticas antes do início do torneio

Jogos prometedores definem últimos boletos às Quartas de Final

Botafogo recebe Nacional com leve vantagem

Animados pelo 1-0 da ida, espera-se que mais de 40.000 torcedores lotem o estádio Olímpico do Rio para ver de novo o Botafogo encarar mais um duelo pela CONMEBOL Libertadores Bridgestone, copa sonhada pela torcida deste clube centenário. 

Com o jovem Jair Ventura, o ‘Glorioso’ voltou a permitir-se sonhar alto e coloca a alma nesta edição que começou disputando as eliminatórias prévias e tem agora a um passo das quartas, pela primeira vez em mais de quatro décadas.

“Nos acostumamos a ter jogos difíceis. Este é mais um, outra guerra. Temos uma grande vantagem, mas estamos concentrados. [Nacional] é um time forte, com grandes jogadores”, assegurou João Paulo na segunda-feira.

Estádio: Nilton Santos (Rio de Janeiro, sudeste do Brasil). Hora: 19H15 locais (22H15 GMT). Árbitro: Wilmar Roldán.  Assistentes: Wilmar Navarro e John Alexander León (trio colombiano). Rival nas quartas: Grêmio que eliminou Godoy Cruz.

Possíveis formações:

Botafogo: Roberto Fernández – Emerson, Joel Carli, Emerson Silva, Víctor Luis – Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes – Joao Paulo, Roger, Rodrigo Pimpao. DT: Jair Ventura.

Nacional: Esteban Conde – Jorge Fucile, Agustín Rogel, Diego Polenta, Alfonso Espino – Alvaro González, Diego Arismendi, Sebastián Rodríguez – Tabaré Viudez, Sebastián Fernández e Rodrigo Aguirre. DT: Martín Lasarte.

DADOS:

Botafogo – Nacional

Tres jogos internacionais oficiais, todos com triunfos do Botafogo. Os dois primeiros na Copa Libertadores 1973: 3-2 como local e 2-1 em Montevidéu. O mais recente por 1-0 (Joao Paulo) no cotejo de ida de 6 de julho deste ano.

Botafogo local

Ótimo registro em torneios Conmbeol (26 – 7 – 5)

Na Copa Libertadores só perdeu dois dos últimos 10: Unión Española 1-0 (Gustavo Canales / 2014) e Barcelona 2-0 (José Ayoví, Jonathan Alvez / 2017)

De forma oficial recebeu três vezes times uruguaios. Ademais da mencionada vitória frente ao Nacional, as outras duas foram: Peñarol 4-1 (Libertadores 1973) e Peñarol 2-2, com posterior vitória nos pênaltis (Copa Conmebol 1993)

Nacional visitante

Atravessa uma ótima racha em torneios Conmebol, onde leva 10 partidas sem perder

A última queda foi em 5 de fevereiro de 2015 frente ao Palestino 1-0 (Diego Rosende) pela Copa Libertadores

Visitou o Brasil em 38 ocasiões de forma oficial (6 – 9 – 23)

Ali leva três sem derrotas, desde 10 de abril de 2014 frente ao Grêmio 1-0 (Hernán Barcos)

Árbitro – Wilmar Roldán

Registra 75 partidas em torneios de clubes Conmebol

Copa Libertadores (55) – Copa Sudamericana (19) – Recopa (1)

Dirigiu uma vez o Botafogo: Deportivo Quito 0-1 (Libertadores 2014) e três vezes o Club Nacional de Fútbol: Alianza Lima 0-1 (Libertadores 2012), Toluca 3-2 (Libertadores 2013) e Rosario Central 1-1 (Libertadores 2016)

 

San Lorenzo enfrenta Emelec pelas quartas de final

San Lorenzo tentará somar outro boleto argentino para as quartos de final da CONMEBOL Libertadores Briddgestone quando receber o equatoriano Emelec, no cotejo desquite das oitavas de final, a realizar-se nesta quinta-feira à noite no estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires.

El ‘Ciclón’, campeón de este torneo en 2014, dio un buen primer paso al imponerse por 1-0 en el cruce de ida en Guayaquil, por lo que seguirá en carrera con un triunfo o un empate, mientras que Emelec necesita ganar por margen mínimo para forzar los penales, o por una renta mayor para dar vuelta a la serie.

El encuentro se jugará desde las 21H45 locales del jueves (00H45 GMT) y será arbitrado por el brasileño Wilton Sampaio, secundado por sus compatriotas Kleber Lucio Gil y Bruno Boschilia.

En los cuartos de final, el vencedor de esta llave se encontrará con el argentino Lanús, que viene de eliminar al boliviano The Strongest.

Prováveis equipes:

San Lorenzo: Nicolás Navarro – Paulo Díaz, Marcos Angeleri, Matías Caruzzo y Gabriel Rojas – Franco Mussi y Juan Mercier – Ezequiel Cerutti, Fernando Belluschi y Bautista Merlini – Nicolás Blandi. DT: Diego Aguirre.

Emelec: Esteban Dreer – Carlos Moreno, Cristian Ramos, Marlon Mejía, Oscar Bagüí – Pedro Quiñónez, Fernando Gaibor, Romario Caicedo, Ayrton Preciado – Fernando Luna – Marlon de Jesús. DT: Alfredo Arias.

DADOS:

San Lorenzo – Emelec   

El único enfrentamiento internacional oficial fue el cotejo de ida que San Lorenzo ganó 1-0 con gol de Fernando Belluschi

San Lorenzo local

En Copa Libertadores tiene 60 partidos con amplio record favorable (34 – 17 – 9)

Lleva dos triunfos consecutivos y solo perdió uno de los últimos cinco: Atlético Paranaense 1-0 (Luis González) el pasado 15 de marzo

Está invicto en las siete ocasiones en que recibió a equipos ecuatorianos por Conmebol (5 – 2 – 0)

Las únicas dos oportunidades en que no pudo vencer, fueron sendos empates 1-1 con Liga de Quito por Copa Libertadores: 2008 y 2016

Emelec visitante

En la actual Copa Libertadores alternó los tres resultados posibles: Melgar 0-1, River Plate 1-1 e Independiente Medellín 2-1

En competencias oficiales se presentó 10 veces en Argentina y nunca pudo ganar (0 – 4 – 6)

Los empates que consiguió fueron: Vélez Sarsfield 1-1 (Libertadores 1997), Newell´s Old Boys 0-0 (Libertadores 2010), Vélez Sarsfield 0-0 (Libertadores 2013) y el mencionado de ésta año ante River Plate

Árbitro – Wilton Sampaio

Tiene 10 partidos en Copa Libertadores

Tres en la actual edición: Deportivo Táchira 0 – Deportivo Capiatá 0, Independiente Medellín 1 – River Plate 3 y The Strongest 1 – Lanús 1

Dirigió en forma oficial una vez a San Lorenzo: Banfield 4-1 (Sudamericana 2016) y también en una ocasión a Emelec: Olimpia 2-2 (Libertadores 2016)

 

Duelo brasileiro pela última vaga

Santos e Atlético Paranaense decidirão qual equipe brasileira entrará nas quartas de final. Com oito clubes no início da competição e seis vivos até as oitavas, aconteça o que acontecer esta semana, o país do futebol tem ao menos uma vaga certeira nas quartas, cujo nome sairá da Vila Belmiro. 

Lançados por um grande momento de forma, o duelo parte de cara para os donos da casa, depois de sua vitória da ida de 3-2 em Curitiba. 

Estádio: Vila Belmiro (Santos, sudeste do Brasil). Hora: 21H45 locais (00H45 GMT). Árbitro: Mauro Vigliano. Assistentes: Diego Bonfa e Gabriel Chade (trio argentino). Rival nas quartas:  Barcelona de Guayaquil que nos pênaltis eliminou o Palmeiras.

Formações prováveis:

Santos: Vanderlei – Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz, Jean Mota – Renato, Yuri, Lucas Lima – Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. DT: Levir Culpi.

Atlético Paranaense: Weverton – Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno, Fabrício – Rossetto, Lucho González – Guilherme, Nikao, Sidcley – Ribamar. DT: Fabio Soares.

DADOS:

Santos – Atlético Paranaense  

Três jogos internacionais oficiais. Dois triunfos do Atlético Paranaense nas quartas de final da Copa Libertadores 2005, a ida como local 3-2 (Evandro, Marcao, Lima – Ricardinho, Deivid) e 2-0 na revanche (Aloísio 2). E o êxito do Santos na partida de ida do passado 5 de julho por 3-2 (Nikao, Ederson – Kayke 2, Bruno Henrique)

Santos local

Recorde amplamente favorável em torneios Conmebol (63 – 19 – 14)

Dos últimos 10 que disputou, ganhou 9 e apenas perdeu um: Corinthians 1-0 (Emerson) na Copa Libertadores 2012

Leva 13 anos sem ser derrotado por um time não brasileiro. Desde 10 de novembro de 2014 ante Liga de Quito 2-1 (Elano – Alex Aguinaga, Elkin Murillo) pela Copa Sul-Americana

Atlético Paranaense visitante

Registra 35 partidas em torneios Conmebol (12 – 7 – 16)

Em sua mais recente apresentação teve uma decisiva vitória ante Universidad Católica 3-2 que lhe assegurou a classificação às oitavas de final

Em torneios Conmebol visitou outros times brasileiros em 11 oportunidades (3 – 2 – 6)

Ademais do citado ante Santos, os outros triunfos foram: Paraná 3-1 (Cristiano – Cristian, Marcos Aurelio, David Ferreira / Sudamericana 2006) e Joinville 2-0 (Walter, Douglas Coutinho / Sudamericana 2015)

Árbitro – Mauro Vigliano

Leva 12 partidas em Copa Libertadores

Duas na presente edição 2017: Universitario 0 – Deportivo Capiatá 3 e The Strongest 5 – Sporting Cristal 1

Não dirigiu de forma oficial o Santos nem Atlético Paranaense

 

 

 

 

AFP

Dados: Eduardo Bolaños

Ultimas Noticias