NOTÍCIA DESTACADA

APF e FVF terminam nova etapa do projeto Futebol para Mulheres promovido pela UEFA e CONMEBOL
APF e FVF terminam nova etapa do projeto Futebol para Mulheres promovido pela UEFA e CONMEBOL
Enfrentamentos eletrizantes nas Oitavas da CONMEBOL Libertadores 2022
Enfrentamentos eletrizantes nas Oitavas da CONMEBOL Libertadores 2022
Disputas acirradas nas Oitavas da CONMEBOL Sudamericana
Disputas acirradas nas Oitavas da CONMEBOL Sudamericana

Pizzi anuncia sua retirada da Seleção Chilena

O treinador do Chile, Juan Antonio Pizzi, anunciou que não continuará como treinador de La Roja e disse que foi “o maior  responsável” pela derrota de terça-feira contra o Brasil (3-0), que deixou a bicampeã da América fora do Mundial Rússia de 2018.

Campeão da Copa América Centenario e finalista da última Copa das Confederações, Pizzi anunciou nesta última terça-feira o encerramento de um grande momento na frente da Roja.

Visivelmente afetado, o treinador argentino expressou em uma conferência de imprensa sua decepção por ter sido deixado fora da Rússia 2018, pelo que afirmou ser “o máximo responsável”.

“Pessoalmente, eu me descarto” para continuar, disse o treinador depois de assumir a responsabilidade pelo fracasso da equipe nas eliminatórias, onde terminou em sexto lugar, empatado com Peru, 26 pontos, mas com saldo negativo maior.

Enquanto isso, o Presidente da Federação Chilena de Futebol, Arturo Salah, ficou surpreso com a renúncia de Pizzi e anunciou que ele “avaliaria” essa decisão, mas recusou-se a falar sobre possíveis substituições.

Pizzi “nos reuniu e nos contou sobre sua retirada, é um momento ruim para eles (seu Corpo Técnico) porque ficam sem trabalho”, comentou o defesa Gary Medel.

Juan Antonio Pizzi, de 48 anos, assumiu a seleção nacional chilena em janeiro de 2016, após a saída do argentino Jorge Sampaoli.

Sob o seu comando, o Chile teve uma campanha irregular durante as eliminatórias, que tornou-se em críticas nas últimas etapas em que perdeu três dos últimos quatro jogos e despediu-se da máxima competição de seleções: 3-0 ante o Paraguai, 1-0 contra a Bolívia e 3-0 com o Brasil.

“Nós fizemos todo o esforço durante toda a rodada de classificação, em todas as partidas, mas infelizmente, não foi suficiente para entrar ao Mundial”, declarou Pizzi.

Para a última fase das eliminatórias, com o Brasil já classificado, o Chile, a Argentina, a Colômbia, o Paraguai, o Uruguai e o Peru vieram com chances de permanecerem com as três vagas diretas para a Copa do Mundo e a repescagem contra a Nova Zelândia, representante da Oceania.

O resto dos resultados da rodada não acompanhou o Chile e confirmou sua eliminação.

– Fechar um ciclo –

Depois de assumir o comando do Chile, Pizzi começou com dificuldades as eliminatórias, já que em seu primeiro jogo perdeu por 2-1 contra a Argentina, mas recuperou-se rapidamente com um triunfo 4-1 em sua visita à Venezuela.

Depois disso, Pizzi levou o Chile a ganhar a Copa América Bicentenário no ano passado nos Estados Unidos, depois de vencer a final por pênaltis contra a Argentina de Messi, alcançando seu segundo título a nível de seleções.

Pizzi também liderou a Roja à final da Copa das Confederações, onde perdeu por 1 a 0 frente a Alemanha.

Após este torneio, o Chile mostrou uma queda no seu jogo que finalmente terminou em uma eliminação dolorosa.

“Infelizmente, um ciclo foi fechado em que vivemos momentos de grande alegria e essa tristeza supera qualquer desconforto que teve em sua carreira”, afirmou o técnico de 48 anos.

Durante sua vida no futebol, Pizzi atingiu seu nível mais alto como atacante no futebol espanhol na década de 1990, onde foi goleador com Tenerife, que o levou a assinar com o FC Barcelona.

Como treinador, assumiu o comando na Espanha do Valência, na Argentina do Rosario Central e San Lorenzo, e no México ele treinou o Leão antes de ser DT do Chile.

 

 

 

AFP

Ultimas Noticias