NOTÍCIA DESTACADA

Semifinalistas da CONMEBOL Copa América de Beach Soccer 2022
Semifinalistas da CONMEBOL Copa América de Beach Soccer 2022
Confira os duelos e antecedentes da 6ª jornada da Fase de Grupos da CONMEBOL Sudamericana
Confira os duelos e antecedentes da 6ª jornada da Fase de Grupos da CONMEBOL Sudamericana
Jogos e históricos da última rodada da Fase de Grupos
Jogos e históricos da última rodada da Fase de Grupos

Seleções da América do Sul retomam confrontos para chegar à Rússia 2018

As Seleções da América do Sul retomam nesta quinta-feira a #Eliminatorias CONMEBOL, com a Fase 15, rumo ao Mundial Rússia 2018, com confrontos que determinarão os classificados: Venezuela (6) x Colômbia (24); Chile (23) contra Paraguai (18); Uruguai (23) ante Argentina (22); Peru (18) frente Bolívia (10) e Brasil (33) recebe o Equador (20).

Colômbia busca impulso ante Venezuela para garantir sua vaga

A seleção da Colômbia procurará cristalizar suas chances de alcançar a Rússia 2018 quando visite nesta quinta-feira a Venezuela em San Cristóbal, pela Fase Eliminatória CONMEBOL.

Com 24 unidades, os “cafeteros” chegam ao encontro crucial no estádio Pueblo Nuevo de San Cristóbal, uma cidade fronteiriça com a Colômbia, em um momento excelente, embora sentirãoa falta da sua maior estrela: James Rodríguez, novo jogador do Bayern Munich.

A equipe liderada pelo argentino José Pekerman está em segundo lugar com 24 pontos em 14 etapas, apenas superada  pelo pentacampeão do mundo, o Brasil, com 33 unidades e com seu ingresso para a Rússia garantido.

No entanto, a Venezuela em seu território é um rival para não confiar: “são partidas muito difíceis”, porque “Venezuela sempre contra nós aposta a vida”, advertiu Juan Guillermo Cuadrado à prensa, volante do italiano Juventus.

Dudamel procura no impulso dos jovens a nova geração da Vinotinto. Ele convocou sete finalistas do Mundial Sub-20 deste ano na Coreia do Sul: o goleiro Wuilker Faríñez, o defesa José Hernández, os meio-campistas Yangel Herrera, Sergio Córdoba, Yeferson Soteldo, Samuel Sosa e o ponta Ronaldo Chacón.

Mas o goleiro Josef Martínez (Atlanta United, Estados Unidos) advertiu que a equipe está pronta para um jogo que “para nós é um clássico”. Martínez espera “uma festa” em casa, embora a crise econômica atinja os fãs locais.

Antecedentes

Venezuela – Colômbia

Por eliminatórias se enfrentaram 15 vezes.

Vantagem da Colômbia com 7 triunfos, 5 empates e 3 vitórias da Venezuela

Venezuela local nas Eliminatórias 

Ganhou apenas umas das últimas 10

Ocorreu ante Bolívia 5-0 (Kouffaty, Martínez 3, Otero) no dia 10 de novembro de 2016

Também foi o único dos últimos 10 encontros que não recebeu gols 

Colômbia visitante nas Eliminatórias

Alternou uma derrota e uma vitória nas suas recentes apresentações: Argentina 0-3 (Messi, Pratto, Di María) e Equador 2-0 (Rodríguez, Cuadrado)

Venezuela local de Colômbia nas Eliminatórias

Disputaram 7 partidas

Prevalecem os empates (4) por sobre as vitórias da Venezuela (2) e da Colômbia (1)

Venezuela leva dois triunfos consecutivos: 2-0 (Fedor, Arango) no dia 31 de março de 2009 e 1-0 (Rondón) no dia 26 de março de 2013

O único êxito da Colômbia foi por 2-0 (Bermúdez, Valenciano) no dia 15 de dezembro de 1996.

Primeira partida: Venezuela 1 – Colômbia 1 (Eliminatórias para México 1970)

Último encontro: Venezuela 1 – Colômbia 0 (Eliminatórias para Brasil 2014).

 

Chile pretende avançar ante o Paraguai que aposta sua última carta

Chile receberá um Paraguai necessitado nesta quinta-feira pela Fase 15 das Eliminatórias CONMEBOL, onde a Roja quer a vitória que lhe permite permanecer na zona de classificação.

O estádio Monumental será o cenário com sabor de final do jogo para os guaranis e a revanche para os chilenos, que não esquecem a bebida amarga que resultou um ano atrás a sua visita em Assunção, onde terminou com o triunfo local (2-1).

“Temos um oponente difícil, estamos numa situação em que não devemos perder pontos, especialmente jogando em casa, e estamos trabalhando ontem e hoje com a missão de resgatar esses três pontos”, afirmou o capitão Claudio Bravo.

O Chile procura permanecer na zona de classificação com 23 unidades ocupando o quarto lugar. Enquanto o Paraguai, com 18 pontos na oitava posição, quer continuar lutando para chegar à Rússia 2018, então eles devem conquistar os três pontos.

Diante da Roja “não há margem de erro”, enfatizou o DT paraguaio Francisco Arce. “Estamos convencidos de que vamos conseguir isso”, afirmou Arce dias antes do jogo contra o Chile, que ele considera uma “boa equipe”.

Antecedentes

Chile – Paraguai

Por eliminatórias se enfrentaram 17 vezes.

Paraguai ganhou 9 (26 gols), Chile 7 (21 tantos) e empataram em uma 

Chile local nas Eliminatórias

Acumula três vitórias consecutivas: Peru 2-1 (Vidal 2 – Flores), Uruguai 3-1 (Vargas, Sánchez 2 – Cavani) e Venezuela 3-1 (Sánchez, Paredes 2 – Rondón).

Perdeu somente uma das últimas 10: Argentina 2-1 (Gutiérrez – Di María, Mercado) no dia 24 de março de 2016

Paraguai visitante nas Eliminatórias

Na atual eliminatória ganhou duas partidas (Venezuela 1-0 e Argentina 1-0), empatou uma (Equador 2-2) e perdeu as quatro restantes (Peru 1-0, Uruguai 4-0, Bolívia 1-0 e Brasil 3-0)

Chile local de Paraguai nas Eliminatórias

Paridade nos 8 duelos disputados

Chile ganhou 4, Paraguai 3 e empataram as restantes

O antecedente mais recente foi o triunfo dos locais por 2-0 (Contreras, Campos Toro) no dia 15 de novembro de 2011

A última vitória do Paraguai foi no dia 21 de novembro de 2007 por 3-0 (Cabañas, Da Silva 2)

O único empate do historial aconteceu no dia 17 de novembro de 1985 por 2-2 (Rubio, Muñoz – Schettina, Romero). A partida foi a última repescagem da zona sul-americana e com o empate Paraguai conseguiu a classificação para o México ’86, pois na ida venceu por 3-0.

Primeira partida: Chile 1 – Paraguai 3 (Eliminatórias para Suíça 1954)

Último encontro: Chile 2 – Paraguai 0 (Eliminatórias para Brasil 2014).

 

Uruguai – Argentina: O “clássico duelo de Rio de Plata” com prêmio mundialista

O clássico do Rio de la Plata entre o Uruguai e a Argentina pelos Eliminatórias CONMEBOL rumo à Rússia 2018 terá um ingrediente adicional nesta quinta-feira, devido à expectativa de um possível confronto Suárez-Messi e um duelo de treinadores.

O Uruguai será local no Estádio Centenario, com seus 54 mil acentos vendidos para ver uma equipe que se posicionou nos primeiros lugares do campeonato, embora venha de perder nas últimas três partidas do premundial.

Com as duas equipes que procuram uma passagem direta ao Mundial, os uruguaios estão em terceiro lugar, na zona de classificação,entretanto, aparecem os argentinos em quinto lugar na área de repescagem – o jogo será com dentes cerrados.

A esperança de ver Luis Suárez, artilheiro do Barcelona, enfrentando seu amigo e companheiro de equipe, o goleador e  capitão albiceleste Lionel Messi, alimentam a expectativa.

Uma lesão do atacante celeste colocou-o ao lado da disputa. Mas nestas voltas torcidas que Suárez acostumou aos seus fãs, ele teve uma recuperação espetacular e na terça-feira chegou ao Uruguai esperançoso de poder jogar.

Se jogasse Suárez, os ataques do Uruguai e da Argentina seriam comandados por dois dos melhores atacantes do futebol mundial.

Messi terá a responsabilidade de levar a Argentina para fora da zona da repesca, faltando apenas quatro fases para a final da Eliminatória.

Para o capitão celeste, Diego Godín, “Messi é um jogador determinante” e o Uruguai deve estar “bem fechado para tentar cortar as linhas de passe”, em um choque que, de locais, os celestes darão a arrancada. 

Para Sampaoli será uma estreia difícil: “Jogamos tudo contra o Uruguai”, admitiu na terça-feira em uma conferência de imprensa em Buenos Aires.

O treinador assumiu a liderança de uma Argentina que não encontra seu jogo e introduziu algumas modificações na estrutura da equipe que continua ancorado em Messi.

Desde que tomou o leme da Albiceleste, o DT dirigiu dois amistosos que ganharam, 1-0 contra o Brasil,o líder do campeonato, e por 6-0 contra Singapura.

Contra o Uruguai, a Argentina aparecerá com Mauro Icardi,do italiano Inter de Milão, e sem Gonzalo Higuaín, da italiana Juventus que não foi levada em consideração. Além disso, adicionou vários jogadores do ambiente local para formar uma equipe com clara vocação ofensiva.

Antecedentes

Uruguai – Argentina

Por eliminatórias se enfrentaram 11 vezes.

Vantagem da Argentina com 6 triunfos, 3 empates e 2 vitórias do Uruguai

Uruguai local nas Eliminatórias

Em sua mais recente atuação foi goleado pelo Brasil por 4-1, cortando uma excelente racha de 16 partidas sem derrotas.

Na atual eliminatória ganhou todos os duelos e apenas recebeu um gol: Colômbia 3-0, Chile 3-0, Peru 1-0, Paraguai 4-0, Venezuela 3-0 e Equador 2-1

Argentina visitante nas Eliminatórias

Leva quatro sem ganhar e duas sem marcar 

Até agora foi uma eliminatória irregular com dois triunfos (Colômbia 1-0 e Chile 2-1), três empates (Paraguai 0-0, Venezuela 2-2 e Peru 2-2) e duas derrotas (Brasil 3-0 e Bolívia 2-0)

Uruguai local de Argentina nas Eliminatórias

Paridade nos cinco encontros disputados

Uruguai ganhou dois, Argentina um e igualaram duas 

O único triunfo Albiceleste foi no dia 14 de outubro de 2009 por 1-0 com gol de Mario Bolatti, com este resultado conseguiu a classificação para o Mundial da África do Sul 

Primeiro jogo: Uruguai 0 – Argentina 0 (Eliminatórias para França 1998)

Último duelo: Uruguai 3 – Argentina 2 (Eliminatórias para Brasil 2014).

 

Equador aposta a vida ante um Brasil com a cabeça posta na Rússia 2018

Equador, convocado para entrar nas cinco primeiras posições, visita o classificado Brasil pela Fase 15 da Eliminatória CONMEBOL para a Rússia 2018, em jogo para ser disputado na Arena Grêmio.

Mudaram muito as coisas para ambas as equipes, desde o último momento que se enfrentaram, há doze meses em Quito. A ‘Seleção’ ocupava o sexto lugar e cheia de dúvidas diante de uma ‘Tri’ que, após um início espetacular, liderava as eliminatórias ao lado do Uruguai.

Mas com Tite debutando no banco, o Brasil finalmente viu a luz, vencendo com um olhar que parecia perdido (3-0) e se lançou a uma série de oito vitórias consecutivas que deram-lhe o primeiro ingresso para a Copa do Mundo Rússia.

“A Copa do Mundo definitivamente começou”, disse o treinador, que nas onze partidas que ele dirigiu o Brasil apenas perdeu no amistoso contra a Argentina na Austrália (1-0).

Apesar de sua insistência em não fechar o grupo até o último momento, o treinador já insinuou que ante o Equador implantará sua equipe de gala, liderada por um Neymar que vai jogar sua primeira partida com a Seleção depois de protagonizar a contratação mais cara da história com o Paris Saint Germain, estando acompanhado na ponta pela jóia do Manchester City, Gabriel Jesus.

“Fico muito feliz em olhar para trás depois de um ano e ver que consegui realizar meu sonho de infância, vestir a camisa da seleção nacional e ajudar meus colegas de equipe”, disse o atacante Gabriel Jesús nesta terça-feira.

Desde a sua última partida com a Seleção, a equipe de Gustavo Quinteros viu como a sua estreia cintilante no Premundial foi diminuindo à sexta posição, com apenas duas vitórias em oito jogos.

Dois pontos da Argentina (5º), os tricolores vão disputar contra o Brasil com a história e as probabilidades em contra, embora armados com a adrenalina perigosa de tudo ou nada.

“É um desafio difícil, mas o Equador mostrou que, quando revela seu máximo potencial, produz resultados muito bons”, afirmou o treinador.

Antecedentes

Brasil – Equador

Por eliminatórias se enfrentaram 9 vezes.

Vantagem para Brasil com 5 vitórias, 2 empates e 2 derrotas

Brasil local nas Eliminatórias

Extraordinário rendimento. Está invicto ao longo das suas 52 apresentações, com 40 vitórias e apenas 12 empates

Marcou 139 gols e recebeu somente 26

Na atual eliminatória venceu em todos os jogos, menos um: Uruguai 2-2 (Douglas Costa, Renato Augusto – Cavani, Suárez)

Equador visitante nas Eliminatórias

Registra 2 derrotas consecutivas e 5 sem ganhar

Na atual eliminatória venceu nos dois primeiros duelos: Argentina 2-0 (Erazo, Caicedo) e Venezuela 3-1 (Martínez – Martínez, Montero, Caicedo)

Brasil local de Equador nas Eliminatórias 

Total superioridade do Brasil que ganhou as quatro partidas, marcando 11 gols e apenas recebendo dois

A maior diferença aconteceu no antecedente do dia 17 de outubro de 2007. Foi de 5-0 com dois gols de Kaká, um de Ronaldinho, outro de Vagner Love e o restante de Elano

Primeira partida: Brasil 2 – Equador 0 (Eliminatórias para Estados Unidos 1994)

Último encontro: Brasil 5 – Equador 0 (Eliminatórias para África do Sul 2010).

 

Peru por oxigenar suas esperanças ante Bolívia   

Peru procurará derrotar a equipe boliviana em Lima para se manter vivo, pela décima quinta fase das Eliminatórias rumo à Rússia-2018.

A seleção ‘Inca’ com 18 pontos e no sétimo lugar da tabela de classificação precisa urgentemente dos três pontos para manter suas aspirações mundialistas. A Bolívia com 10 pontos está no penúltimo lugar da tabela.

Os atletas do ‘Tigre’ Ricardo Gareca saltarão na quinta-feira ao estádio Monumental com uma mentalidade ofensiva, comandada por Raúl Ruidíaz, que substituirá o goleador do Flamengo, Paolo Guerrero, que não jogará por sanção.

“Eu não tenho a equipe definida, eu vou confirmar isso somente quando estamos no vestiário”, declarou o DT do Peru, o argentino Ricardo Gareca.

Farfán, que retorna à seleção nacional depois de 17 meses, disse: “Temos uma partida difícil, mas nos mentalizaremos para obter um resultado positivo”. Os peruanos não se classificam para uma Copa do Mundo desde Espanha-1982.

Por sua parte, a equipe boliviana liderada por Mauricio Soria chegará em Lima na quarta-feira, liderada pelo atacante Alejandro Chumacero, que procurará salvar a honra da equipe ganhando uma partida difícil na capital peruana.

A Bolívia terá uma baixa para o confronto contra os peruanos, será o atacante Juan Carlos Arce, por suspensão devido à acumulação de cartões amarelos.

Antecedentes

Peru – Bolívia

Por eliminatórias se enfrentaram 16 vezes.

Enorme paridade com 6 vitórias para cada um e quatro empates.

Além de suas respectivas confrontações como locais, registram um jogo em campo neutral. No dia 17 de julho de 1977, em Cali, Peru venceu por 5-0 (Oblitas 2, Cubillas, Muñante, Velásquez) classificando-se para o Mundial ’78

Peru local nas Eliminatórias 

Alternou os três resultados possíveis nas suas recentes apresentações: Argentina 2-2 (Guerrero, Cueva – Funes Mori, Higuaín), Brasil 0-2 (Gabriel Jesús, Renato Augusto) e Uruguai 2-1 (Guerrero, Flores – Sánchez).

Essa derrota com Brasil foi o único encontro dos últimos 10 onde não marcou gols 

Bolívia visitante nas Eliminatórias 

Atravessa uma fase ruim, pois acumula 53 partidas sem ganhar 

O último triunfo aconteceu no dia 18 de julho de 1993 frente a Venezuela por 7-1 (Oswaldo Palencia – Erwin Sánchez 3, Luis Ramallo 3, Luis Cristaldo)

Nesta edição perdeu seis (Equador 2-0, Paraguai 2-1, Argentina 2-0, Brasil 5-0, Venezuela 5-0 e Colômbia 1-0), empatando uma: Chile 0-0.

Peru local de Bolívia nas Eliminatórias 

Disputaram 7 encontros

Peru ganhou 4, Bolívia 1 e empataram em duas ocasiões 

A única vitória da Bolívia aconteceu no dia 10 de setembro de 1989 por 2-1 (Gonzáles – Montaño, Sánchez)

Peru marcou gols ante Bolívia nas 7 partidas

A maior diferença foi de três tantos em duas ocasiões: 3-0 em 1969 e 4-1 em 2005

Primeira partida: Peru 3 – Bolívia 0 (Eliminatórias para México 1970)

Último encontro: Peru 1 – Bolívia 1 (Eliminatórias para Brasil 2014).

 

CONMEBOL.com / AFP

Antecedentes Eduardo Bolaños

Ultimas Noticias