NOTICIA DESTACADA

Confira os grupos da CONMEBOL Sub-20 de Futsal Feminino
Confira os grupos da CONMEBOL Sub-20 de Futsal Feminino
Fixture das Semifinais da CONMEBOL Libertadores e da CONMEBOL Sudamericana 2022
Fixture das Semifinais da CONMEBOL Libertadores e da CONMEBOL Sudamericana 2022
Árbitros confirmados para a Sub20 Intercontinental
Árbitros confirmados para a Sub20 Intercontinental

Situações de análise VAR: River Plate x Nacional

river_plate-nacional

Compartilhamos este material de caráter didático que serve como esclarecimento e descrição de situações relacionadas com o futebol baseadas no Protocolo VAR e Regras de Jogo das partidas correspondentes à CONMEBOL Libertadores 2020.

JOGO: RIVER PLATE (ARG) x NACIONAL (URU)

ESTÁDIO: INDEPENDIENTE DE AVELLANEDA

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 10 DE DEZEMBRO DE 2020

MINUTO: 17′

Aspectos considerados: MÃO

-Regras de Jogo

Regra 12

INFRAÇÃO DE MÃO

NÃO será considerada infração quando a bola tocar a mão ou o braço:
    
1- Se provém diretamente da cabeça ou do corpo (incluindo o pé) do próprio jogador;
    
Considerações Específicas

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR
1 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

JOGO: RIVER PLATE (ARG) x NACIONAL (URU)

ESTÁDIO: INDEPENDIENTE DE AVELLANEDA

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 10 DE DEZEMBRO DE 2020

MINUTO: 38′

Aspectos Considerados: Pênalti

-Regras de Jogo

Regra 12

1-Regras de jogo:

Tiro livre direto

Será concedido um livre direto se, a juízo do árbitro, um jogador comete uma das seguintes faltas contra um adversário de um jeito imprudente, temerário ou com uso de uma força excessiva:

• avançar contra um adversário

Será concedido um pênalti sempre que um jogador cometa uma infração sancionável com livre direto dentro da sua área de pênalti ou fora do terreno de jogo como parte do jogo, segundo o estipulado nas Regras 12 e 13.

 • «Imprudente» é aquela ação na qual um jogador mostra falta de atenção ou consideração ou atua sem precaução ao disputar uma bola com um adversário. Não será necessária uma sanção disciplinar.

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo às Regras de Jogo e ao espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem tem o poder discrecional para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR

Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

 

JOGO: RIVER PLATE (ARG) x NACIONAL (URU)

ESTÁDIO: INDEPENDIENTE DE AVELLANEDA

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 10 DE DEZEMBRO DE 2020

MINUTO: 45+2′

Aspectos considerados: Fora de jogo

Regra de Jogo

Regra 11

IMPEDIMENTO

Um jogador em posição de impedimento no momento que toca na bola ou é disputada por um companheiro de equipe será sancionado somente se chegar a participar de forma ativa de uma das seguintes maneiras:

  •  Intervindo no jogo, ao disputar ou tocar a bola passada ou tocada por um companheiro.

*Será considerado o primeiro ponto de contato no momento de disputar ou tocar a bola

Para a sanção de fora de jogo, a cabine contará com a ajuda de poder realizar “Linhas Virtuais de Impedimento”, que permitem conhecer a posição exata dos jogadores.

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e ao espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR

Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

JOGO: RIVER PLATE (ARG) x NACIONAL (URU)

ESTÁDIO: INDEPENDIENTE DE AVELLANEDA

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 10 DE DEZEMBRO DE 2020

MINUTO: 63′

Aspectos considerados: MÃO

-Regras de Jogo

Regra 12

Tocar a bola com a mão

Cometerá infração o jogador que:
    
Toque a bola com a mão ou o braço quando: a mão ou o braço se posicionem de maneira antinatural e consigam que o corpo ocupe mais espaço;

Estas infrações serão consideradas como tais inclusive no caso que a bola tocar na mão ou no braço do jogador após ter rebotado na cabeça, corpo ou pé de dito jogador ou de outro que estiver situado perto do primeiro.

Considerações Específicas

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e ao espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR
1 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

JOGO: RIVER PLATE (ARG) x NACIONAL (URU)

ESTÁDIO: INDEPENDIENTE DE AVELLANEDA

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 10 DE DEZEMBRO DE 2020

MINUTO: 90+5′

Aspectos considerados: NÃO Fora de jogo

Regra de Jogo

Regra 11

FORA DE JOGO

Não estará em fora de jogo aquele jogador que se encontre na mesma altura que:

 • o penúltimo adversário ou

 • os dois últimos adversários.

*Será considerado o primeiro ponto de contato no momento de disputar ou tocar a bola

Para a sanção de fora de jogo, a cabine contará com a ajuda de poder realizar “Linhas Virtuais de Impedimento”, que permitem conhecer a posição exata dos jogadores.

*Naqueles casos onde não exista um penúltimo jogador, será a bola o ponto de referência para determinar a posição de impedimento.

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e ao espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR

Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

 

CONMEBOL.com

Últimas Noticias