NOTICIA DESTACADA

CONMEBOL capacita árbitros em prol do fortalecimento da justiça esportiva em campo de jogo
CONMEBOL capacita árbitros em prol do fortalecimento da justiça esportiva em campo de jogo
Lançamento da revista científica 2021 da CONMEBOL Médica e Unidade Antidoping
Lançamento da revista científica 2021 da CONMEBOL Médica e Unidade Antidoping
Fixture da CONMEBOL Copa América Futsal 2022
Fixture da CONMEBOL Copa América Futsal 2022

A caxirola não vai tocar mais na Copa Confederações

caxirola

A caxirola, instrumento criado para ser símbolo auriverde para o Mundial-2014 e que procurava ocupar o lugar da vuvuzela na África do Sul, ficará fora dos jogos da Copa FIFA Confederações ao ser considerada perigosa.

“Não será permitida a entrada de torcedores com nenhum instrumento musical e a caxirola entra neste espaço. Estamos adaptando isto já nos jogos-teste e na Copa das Confederações essa regra também vai valer”, explicou nesta segunda Hilário Medeiros, gerente de segurança do Comitê Organizador Local (COL) do Mundial.

A caxirola foi inventada especialmente para o Mundial-2014 pelo músico brasileiro Carlinhos Brown.

Porém a barulhenta vuvuzela, diferente da caxirola, já era usada pelos torcedores sul-africanos décadas antes do Mundial.

A proibição de instrumentos musicais, que inclui também os tradicionais tambores, regirá a partir deste domingo para o amistoso entre a Inglaterra e o Brasil no Maracanã do Rio de Janeiro, que servirá como evento-teste para o mítico estádio.

A ‘revolta das caxirolas’

Copa FIFA Confederações se celebra desde o dia 15 até o dia 30 de junho em seis das 12 sedes do Mundial. Uma delas é Salvador da Bahia e foi ali onde começou a polêmica que levou ao veto da caxirola.

No dia 28 de abril, durante um clássico Bahia x Vitória, celebrado no estádio mundialista pelo campeonato baiano, torcedores furiosos com o resultado lançaram dezenas destes instrumentos ao campo, na qual a imprensa batizou como a “revolta das caxirolas”.

Desde então, a FIFA e o COL avaliaram seu uso para a Confederações, já que podia ser utilizada como uma arma. Sua proibição para o Mundial do ano que vem ainda não foi confirmada.

O instrumento desenhado por Brown, um poeta reconhecido, percursionista e artista brasileiro, foi inspirado no caxixi, um cestinho fechado com sementes ou arroz dentro, que acompanha danças e ritos afro-brasileiros, como a capoeira.

“Para muita gente, a vuvuzela era muito barulhenta, porém a verdade é que ninguém se esquece dela. Ela nos indicou que devíamos continuar no ritmo e como músico não podia parar. Foi aí que surgiu a caxirola, um pouco menos barulhenta”, explicou Brown em setembro de 2012.

No dia 23 de abril foi lançada em Brasília e até agora era distribuída de forma gratuita em alguns jogos celebrados nos estádios da Copa.

Assim, sem vuvuzela, caxirola, tambor ou trombeta, os interessados nos estádios da Copa terão que voltar a ralar a garganta, os assobios e os aplausos para fazer a agitação nos estádios.

Ultimas Noticias