Cree en grande.
CONMEBOL

Situações de análise VAR: Chile x Peru

Situações de análise VAR: Chile x Peru

Compartilhamos este material de caráter didático que serve como esclarecimento e descrição de situações relacionadas com o futebol baseadas no Protocolo VAR e Regras de Jogo das partidas correspondentes às Eliminatórias Sul-Americanas.

 

VÍDEO DIDÁTICO:    13-11-2019 

ESTÁDIO:  Estadio Nacional Julio Martínez

CIDADE: Santiago

JOGO: Chile x Peru

MINUTO: 14'

ASPECTOS CONSIDERADOS: 
REGRA 12 

ITEM 3 – MEDIDAS DISCIPLINARES 
JOGO BRUSCO GRAVE (FALTA EXTREMA DUREZA) 

As entradas ou disputas de bola que coloquem em perigo a integridade física de um adversário ou nas quais o jogador use força excessiva ou brutalidade deverão ser sancionadas como “jogo brusco grave” (faltas de extrema dureza).
Todo jogador que agrida um adversário na disputa da bola de frente, pelo lado ou por trás, utilizando uma ou ambas pernas com força excessiva ou colocando em perigo a integridade física do adversário, estará jogando com excessiva dureza. 
  

INSTRUÇÕES CONSIDERADAS: 
Proteger a integridade física dos jogadores 

Controle do jogo 
Disputa ou não a bola / 2ª ação / Pode ou tenta evitar o contato 
Trabalho em equipe – Distribuição de responsabilidades 

Intensidade – Velocidade – Força - Impetuosidade
o    Baixa  
o    Média:   Média alta  
MÉDIA BAIXA
o    Alta 

Ponto de contato: 
Detalhes:  
Onde impacta? 
Pé (Apoiado / no ar)
Partes sensíveis
Cabeça / Rosto     

Com que impacta? 
Travas
Perna flexionada/ estendida/ joelhos
Contato pleno/ raspada
Partes moles/ duras

 

VAR

1 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não assim o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão no terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.