Cree en grande.
CONMEBOL

Situações de análise VAR: Vélez Sarsfield x Lanus

Situações de análise VAR: Vélez Sarsfield x Lanus

Compartilhamos este material de caráter didático que serve como esclarecimento e descrição de situações relacionadas com o futebol baseadas no Protocolo VAR e Regras de Jogo das partidas correspondentes à CONMEBOL Sul-Americana 2020.

 

JOGO: VÉLEZ SARSFIELD x LANUS

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 06/01/2021

MINUTO: 25'

Aspectos Considerados: PÊNALTI

1-Regras de Jogo

Será concedido um livre direto se, a juízo do árbitro, um jogador comete uma das seguintes faltas contra um adversário de um jeito imprudente, temerário ou com uso de uma força excessiva:

  •  Dar um chute ou tentar; 

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e o espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

1-Regras de Jogo

VAR

2 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

 

 

Jogo: VÉLEZ SARSFIELD x LANUS

Cidade: BUENOS AIRES

Data: 06/01/2021

Minuto: 26'

Aspectos Considerados: PROCEDIMENTO

1-Regras de Jogo:

REGRA 14 (O Pênalti)

O goleiro deverá ter pelo menos parte de um pé em contato direto ou sobre a linha de meta no momento que o jogador chute a bola.

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e o espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

3-VAR

1 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.

 

JOGO: VÉLEZ SARSFIELD x LANUS

CIDADE: BUENOS AIRES

DATA: 06/01/2021

MINUTO: 45'

Aspectos Considerados: GOL/NÃO GOL

1-Regras de Jogo

Gol válido

Será considerado válido um gol quando a bola tenha atravessado completamente a linha de meta entre as traves, sempre que a equipe que marcou o gol não tenha cometido previamente uma falta ou infração às Regras de Jogo.

2-Decisões arbitrais

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério de acordo com as Regras de Jogo e o espírito do futebol. As decisões do árbitro serão baseadas na opinião deste último, quem terá o poder discricionário para tomar as decisões adequadas dentro do marco das Regras de Jogo. (Pág. 71 Regras de Jogo)

VAR

1 . Princípios

A atuação dos VAR em jogos de futebol está baseada em uma série de princípios que deverão ser aplicados em sua totalidade em todos os jogos onde intervenham:

1. O árbitro assistente de vídeo (VAR) é um membro da equipe arbitral com acesso independente às imagens da retransmissão do jogo; o VAR só pode ajudar o árbitro no caso de que seja produzido um «erro claro, óbvio e manifesto» ou um «incidente grave inadvertido» em relação ao:

a. gol/não gol;

b. pênalti/não pênalti;

c. cartão vermelho direto (não o segundo cartão amarelo/admoestação);

d. confusão de identidade (quando o árbitro admoesta ou expulsa o jogador errado da equipe infratora).

2. O árbitro sempre deverá tomar uma decisão, em outras palavras, o árbitro não poderá omitir uma decisão e, posteriormente, recorrer ao VAR para tomá-la; poderá ser revisada a decisão de permitir que prossiga o jogo após uma suposta infração.

3. Não será modificada a decisão inicial tomada pelo árbitro a não ser que a revisão da jogada demonstre claramente que a decisão constituiu um erro claro, óbvio e manifesto.

4. Somente o árbitro poderá iniciar uma revisão; o VAR (e o resto dos membros da equipe arbitral) unicamente pode recomendar ao árbitro que esta seja realizada.

5. A decisão final será sempre do árbitro, já seja a partir da informação do VAR ou depois de ter realizado uma revisão em terreno de jogo.

6. Não há limite de tempo para o processo de revisão, já que a precisão é mais importante que a rapidez.